Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Foto: AE Notícias

A Campanha de Vacinação Contra a Influenza teve início no dia 12 de abril, e na terça-feira, 8 de junho, entrou na terceira e última fase. Mesmo na reta final, até agora a campanha não atingiu as metas estipuladas pelo Ministério da Saúde, de alcançar 90% de cada público alvo. Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde, até o final da segunda etapa, quase dois meses após o começo da vacinação, apenas 33,4% do grupo prioritário havia sido imunizado no Paraná. Os números preocupam porque na campanha do ano passado, por exemplo, o Estado registrou 92% de cobertura vacinal contra a doença. Mais de 2,6 milhões de paranaenses foram imunizados.

Em Araucária, os números da campanha, até a quarta-feira, dia 9, registravam um total de 45% de pessoas já imunizadas contra a gripe. Segmentando por grupos prioritários, a vacinação entre os idosos atingiu 56,9%, entre as crianças chegou a 67,9%, no grupo dos trabalhadores de saúde chegou a 48,6%, entre os professores 59%, gestantes 57,3% e puérperas 57,7%.

Na terceira e última etapa estão sendo vacinados os seguintes grupos: comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas. Importante ressaltar que quem faz parte dos grupos já atendidos e ainda não foi vacinado, deve procurar um posto de saúde próximo de sua residência para receber o imunizante.

Importância da imunização

A médica pneumologista da Clínica São Vicente, Katia Garbini Gonçalves, faz uma alerta sobre a importância da vacinação, considerando que a gripe é uma doença antiga, que acompanha a humanidade há muito tempo, mas que todo ano apresenta cepas diferentes. “A gripe é uma doença viral que costuma causar febre, dor no corpo, sintomas respiratórios como tosse, congestão nasal, dificuldade para respirar, e esses sintomas podem variar desde muito leves até muitos graves, chegando até a casos de óbitos. Por isso, todo ano a Organização Mundial da Saúde (OMS) define quais são as cepas da gripe que estão circulando mais pelo mundo, e a partir daí é que se desenvolve a vacina. Dessa forma, é importantíssimo se vacinar todos os anos, porque cada ano há uma cepa diferente circulando”, explica.

Conforme a especialista, a vacinação é extremamente importante, principalmente entre as pessoas que são mais suscetíveis ao desenvolvimento da forma grave da gripe, como os idosos, crianças de 6 meses a 5 anos, pessoas com comorbidades, profissionais da saúde e professores. “Essas pessoas têm vacinação garantida pelo Ministério da Saúde, mas de um modo geral, todos que tiverem oportunidade devem se vacinar, para ficarem protegidos contra a doença. E é importante lembrar também que devido à vacina da Covid, as pessoas devem respeitar um intervalo de 15 dias entre as doses de cada uma. Mas não se esqueçam que as duas são muito importantes”, avisa a médica.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1265 – 10/06/2021

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM