Viação Tindiquera segue à frente do TRIAR pelos próximos 6 meses | O Popular do Paraná
Compartilhe esta notícia:

Prefeitura de Araucária e Viação Tindiquera definiram na tarde desta sexta-feira, 15 de janeiro, os detalhes do custo do quilômetro rodado para celebração de um novo contrato emergencial para que a empresa siga gerindo os ônibus do sistema TRIAR pelos próximos seis meses.

O atual contrato entre a empresa e o Município, que também é celebrado em caráter emergencial, vale até o próximo dia 26 de janeiro e, como ainda não foi possível concluir a licitação principal para determinar a nova concessionária do transporte coletivo pelos próximos dez anos, ambas as partes estão celebrando um novo emergencial que pode durar até seis meses, sendo encerrada antes caso haja êxito na concorrência para concessão do sistema.

De acordo com informações obtidas pelo O Popular, o novo contrato emergencial estabelece que a Prefeitura pagará à Viação Tindiquera R$ 7,49 por quilômetro rodado. Por mês, os ônibus do TRIAR circulam em torno de 510 mil quilômetros, o que resulta num repasse mensal dos cofres públicos à empresa na casa dos R$ 3,8 milhões.

O atual contrato, celebrado em julho de 2020, estabeleceu o custo do quilômetro rodado em R$ 7,03, o que faz com que o custo mensal para manter o TRIAR rodando seja de quase R$ 3,6 milhões.

O acréscimo no valor do quilômetro rodado tem como justificativa o valor atual dos insumos para manter os ônibus circulando. Para chegar a esse resultado, a Secretaria Municipal de Planejamento (SMPL), responsável pelo Transporte Coletivo, utiliza uma planilha de custos efetivos do sistema.

Nessa planilha são consideradas as despesas mensais com combustível, lubrificantes, pneus, peças e acessórios, custos operacionais, custos administrativos, impostos e, principalmente, remuneração dos funcionários que fazem o sistema funcionar, como motoristas, mecânicos, pessoal administrativo e outros.

Com os termos do novo contrato ajustados, a Viação Tindiquera deve, já nos próximos dias, cancelar o aviso prévio que deu a seus funcionários no início da semana.

Cabe a empresa, porém, decidir se manterá a totalidade dos funcionários dispensados ou se, eventualmente, aproveitará a oportunidade para renovar parte de seu quadro de pessoal.

Compartilhe esta notícia: