Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Para muitas mulheres, ficar em casa nesse período de pandemia para evitar a disseminação do coronavírus, significa estar trancada com seu agressor. Muitas vítimas de violência doméstica acabam não buscando assistência médica ou legal, seja por medo de sair e contrair o vírus ou pela dificuldade de encontrar os canais para fazer a denúncia. Esta tem sido a rotina de muitas araucarienses nesse período de isolamento social. Por medo de enfrentar locais com aglomeração, elas deixam de procurar a Delegacia da Mulher e do Adolescente. “Fui vítima de agressão e ameaça, e não consegui dar queixa contra meu companheiro, porque no horário que eu fui a delegacia estava fechada. Então deixei passar”, lamentou uma vítima.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná, a Delegacia da Mulher de Araucária está atendendo as vítimas de agressão normalmente, porém, o atendimento está limitado, para evitar a aglomeração de pessoas, conforme determinações das autoridades de saúde. A orientação, segundo a assessoria, é de que as mulheres sempre liguem na delegacia antes de ir pessoalmente, a fim de saber o melhor horário de atendimento. Aliás, o fone 3614-0500, segundo a assessoria, seria mais um canal de ajuda disponível a elas nesse momento de pandemia.

Foto: Everson Santos

Publicado na edição 1209 – 23/04/2020

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM