Aposentados da Prefeitura ficarão sem abono

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O dia 25 de janeiro não deve ser dos melhores para os funcionários aposentados e pensionistas da Prefeitura de Araucária. É que neste dia eles receberão o pagamento do mês um pouco mais magro do que o do mês passado. É que o abono de R$ 250 que eles vinham recebendo não foi renovado ainda pelo prefeito Albanor José Ferreira Gomes (PSDB), pois para garantir o benefício, Zezé precisa que os vereadores aprovem um projeto de lei concedendo a vantagem.

Sobre o assunto, a Prefeitura bota a culpa na Câmara, já que o prefeito teria enviado aos vereadores, em dezembro do ano passado, o projeto de lei nº 1196/2009, referente ao pedido de concessão do abono salarial para os aposentados do poder executivo. “O abono salarial deveria ser pago já neste mês de janeiro, porém, como os servidores do legislativo estão em recesso até o dia 22 de fevereiro, ainda não foi possível sancionar o projeto de Lei”, informou a assessoria de comunicação da Prefeitura.

Tentamos entrar em contato com o presidente da Câmara, Rui Sérgio Alves de Souza, para saber o porque de os vereadores não terem votado ainda o abono para os funcionários da Prefeitura, mas ele não atendeu nossas ligações, sendo que apuramos que Rui está viajando e só deve voltar na semana que vem.

Depois do recesso

Embora Rui esteja viajando, recebemos informações de outros vereadores que a informação passada pela assessoria de comunicação da Prefeitura não é toda a verdade da história. Ao que parece, Zezé protocolou mesmo o projeto de lei do abono na Câmara, só que depois que a Casa já estava em recesso. “Foi praticamente na véspera do Natal que o projeto foi encaminhado. Alguns vereadores já tinham ido até viajar”, comentou um edil da base de apoio da administração na Câmara.

Outro vereador, este da oposição, afirmou que o projeto só não foi votado porque o prefeito não quis. “Se o Zezé mandasse o Rui convocar uma extraordinária, ele convocava. Os aposentados só vão ficar sem o abono em janeiro porque a Prefeitura não se empenhou. Se fosse pra votar alguma suplementação para a CMTC eles tinham mandado o Rui chamar uma sessão extraordinária”, disse.