A greve do funcionalismo público foi um acontecimento que movimentou a administração pública e surpreendeu a todos, pois em momento algum da história do Município a categoria motivou-se a se organizar enquanto coletividade.

Justamente pela surpreendente adesão e por haver fortes indícios de que o movimento continuaria caso não fossem apresentadas propostas, a administração apresentou propostas de reajuste a partir de 2013, entre outras, abonou as ausências ao trabalho em virtude da greve e assumiu compromisso de não perseguir servidores.

Ocorre que temos recebido denúncias em determinados locais de trabalho, em especial de servidores que se encontram em estágio probatório de que avaliações estão sendo recolhidas e refeitas com a atribuição de notas abaixo do mínimo esperado, sem qualquer explicação. Estes fatos têm sido relatados por servidores que participaram da greve e têm origem em determinado local de trabalho. Nesta próxima semana, os sindicalistas que estão em disponibilidade tentarão mais uma vez entrar em contato com o mais alto posto da Secretaria em questão, já que na reunião realizada nesta semana não foi possível resolver o problema, por razões alheias aos fatos e que, não podem, nem devem, desencadear qualquer represália.

Esperamos sinceramente que nesta semana tudo seja resolvido, sem qualquer prejuízo injusto aos servidores envolvidos, já que não é interesse do SIFAR e nem dos servidores prejudicados expor fatos, servidores e autoridades. Que vença o bom senso.

DIRETORIA DO SIFAR
 

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe