Querido Papai Noel, meu nome Waldiclei Barboza. Sim, Waldiclei! O nome é meio estranho eu sei, mas foi minha avó que o escolheu, então eu não reclamo. Até gosto, já que não há muitos Waldicleis por aí. Mas, deixemos esse papinho furado de lado, porque o motivo da minha cartinha é outro!

Escrevo para o senhor porque ao longo de 2010 fui um bom menino. Passei de ano. Comportei-me no CCZ, para onde me mandaram injustamente em 2009. Não falei mal dos outros… quer dizer… falei a verdade, o que em alguns casos acaba sendo o mesmo que falar mal, mas isto não conta. Respeitei os mais velhos… bem, respeitei os que me respeitaram… Procurei ser prestativo, rezei todas as noites e não desejei o mal a ninguém neste mundo, só desejei menos injustiça, o que – de algum modo – significa prejudicar algumas pessoas, mas só as malvadas.

Então, Papai Noel, como tenho sido uma pessoa boa, sinto-me a vontade em fazer alguns pedidos para o senhor. São desejos que se beneficiarão 119 mil pessoas aqui da minha cidade, Araucária. Ah, o senhor não conhece Araucária? Bem, fica aqui no Paraná, mais especificamente na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Temos uma refinaria da Petrobras aqui. Somos o 35° PIB do Brasil e o segundo do Estado, segundo dados do IBGE divulgados na semana passada. Nosso orçamento para 2011, que foi aprovado ontem pela Câmara de Vereadores, é estimado em R$ 594 milhões. Sim, eu sei Noel, é bastante dinheiro, né? Mas, por favor, não jogue a minha cartinha no monte das “não prioridades”. Acontece, que a nossa riqueza não é condizente com a qualidade de vida de nossos moradores. Para o senhor ter uma idéia, temos menos de 50% do esgoto produzidos em nossas casas tratadas. Faltam médicos em nossos postos de saúde. Nossa educação é ruim. Temos muitos cargos comissionados na Prefeitura e na Câmara. Nosso Legislativo consome R$ 23 milhões e pouco legisla e fiscaliza. As ruas daqui não são lá essas coisas, muitas estão todas esburacadas. Nossa política habitacional é praticamente inexistente, temos várias áreas de ocupação irregular. Praças e opções de lazer? Temos bem poucas. Investimento em cultura então? Nem é bom falar…

Pois é Papai Noel, viu como as coisas não vão nada bem aqui? É por isso que lhe escrevo. Quero sua ajuda. E não é financeira, afinal, como o senhor já deve ter notado, nosso problema não é dinheiro… é gestão! O que eu queria é que o senhor nossos desses homens públicos mais sérios, mais honestos. Se for muito difícil arrumar políticos com estas características, peço que – pelo menos – o senhor faça com que os nossos aqui de Araucária tenham um pouco mais de vergonha na cara e compromisso com a cidade. Seria, sem dúvida, um presentão de Natal para este que vos escreve e também para a maioria da nossa população, que é trabalhadora e sonha viver num município melhor. Desde já, obrigado, Noel!

E, você, amigo leitor, se pudesse pedir algo pro Papai Noel, o que pediria? Deixe sua resposta no blog. Boa semana é até terça-feira que vem!

VEJA TAMBÉM

Compartilhe