Caso Voronkoff será julgado hoje

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Caso Voronkoff será julgado hoje
Mapa foi uma das principais pistas para levar polícia aos acusadosCaso Voronkoff será julgado hoje
Na época do crime, Leandro tinha apenas 19 anos

Parece um crime desses de filme, uma morte assustadora com muitas incógnitas no ar e pistas de investigação, porém, ao invés do que todos gostariam que fosse, nos deparamos com mais um cruel fato real. Foi um mapa pregado na parede do Teatro da Praça que concluiu a linha de investigação da polícia para capturar os acusados do homicídio do diretor de teatro Eliseu Voronkoff, morto com 40 golpes de faca na terça-feira de Carnaval em 2003.

Hoje, terça-feira, dia 16, nove anos depois, aberto ao público, acontece o julgamento de um dos acusados do assassinato, Leandro Antônio Valle, que na época tinha 19 anos.

Crime
Na madrugada de 04 de março de 2003, o corpo do poeta, bailarino e professor de teatro foi localizado na Rua Espírito Santo, local pouco movimentado, perto do Centro de Saúde Santa Mônica. Com diversas facadas, Eliseu estava em um local escuro, o que dava a impressão de que tinha tentado escapar. Alguns metros adiante da cena, policiais localizaram somente a lâmina de uma pequena faca de cozinha suja de sangue. A vítima trajava uma camiseta e um calção e tinha seu telefone celular, documentos pessoais, cartões bancários, talões de cheque e algum dinheiro em um de seus bolsos.

Após uma semana de investigação, a equipe da Delegacia de Araucária, comandada na época pelo delegado Jairo Amodio Estorilio, prendeu os dois principais suspeitos do assassinato: Leandro e um menor de idade. A prisão veio após uma pista: um mapa deixado no Teatro da Praça que indicava o endereço do adolescente e de Leandro, que moravam no Jardim Planalto. Conforme o delegado da época, também havia registros de ligação no telefone do menor para Eliseu. Na ocasião, populares afirmavam que a vítima mantinha relação com um rapaz morador daquele bairro.

Depoimento
Quando o suspeito menor de idade foi informado a respeito do exame de impressão digital, decidiu contar a sua versão da história ao Ministério Público. Após depoimento, a juíza Maria Cristina de Franco Chaves decretou a prisão preventiva de Leandro, que havia sido ouvido e liberado da delegacia. Conforme contou o delegado, Leandro era o possível autor das facadas. Em contato com a Vara da Infância e Juventude, não recebemos a informação de qual foi a pena aplicada ao menor de idade, já que ações envolvendo adolescentes, por lei, tramitam sob segredo de justiça. Leandro foi preso na época, mas aproveitou uma fuga coletiva da Delegacia para também se mandar, e desde então, aguarda em liberdade o julgamento do caso.

Defesa
Conforme afirma o advogado de defesa de Leandro, Valin Neto, seu cliente não assume o crime. “Ele não assumiu a autoria, vamos comprovar que ele tão teve participação no assassinato. A única prova contra Leandro é o depoimento do menor de idade”, explicou. Conforme Valin, Leandro hoje trabalha, tem mulher e filho e mora nos fundos da casa de sua mãe. “Nossa expectativa, sinceramente, é que Leandro seja absolvido e inocentado, esse é nosso único objetivo”, finaliza.

Julgamento
Aberto ao público, o julgamento do caso Eliseu Voronkoff acontece hoje, a partir das 9h, no Fórum de Araucária. A acusação será feita pelo promotor Jolsimar de Souza Oliveira.
 

Caso Voronkoff será julgado hoje

Eliseu deixou muitas saudades, quando foi assassinado ocupava o posto de diretor superintendente do Teatro da Praça. Também já havia atuado como diretor do Departamento Cultural da Associação dos Servidores Públicos do Magistério de Araucária entre os anos de 1995 e 1996, diretor técnico do Teatro da Praça (1991 a 1996), secretário da Federação Independente de Teatro Amador do Paraná (1989), coordenador de dança da Colmeia de Artes de Curitiba (1988) e colaborador do Departamento de Cultura da Fundação Casa do Estudante Universitário de Curitiba (1982).