Moradores do Villagio Napole estão aprendendo a preservar o meio ambiente

Desde setembro do ano passado os moradores do condomínio Villagio Napole, localizado no bairro Boqueirão, em Araucária, estão aprendendo na prática a cuidar do meio ambiente. Eles fazem parte de um projeto da Caixa Econômica
Federal, voltado à educação comunitária e ambiental, que vem sendo aplicado nos condomínios financiados pela instituição em Curitiba e na região metropolitana.

Duas técnicas sociais credenciadas pela CEF fazem uma espécie de plantão ambiental na entrada do condomínio, onde abordam e levam explicações e materiais de apoio aos moradores, sobre a importância da separação do lixo reciclável do comum. “Este trabalho tem como objetivo principal aumentar a qualidade de vida das pessoas e também proporcionar aos agentes ambientais (carrinheiros), um aumento na renda familiar”, explicam as técnicas Juliana Bescorovaine e Fabiane Dalcanale. Segundo elas, os agentes Antônio Carlos Silva e a esposa Alcione Muchinski chegam a arrecadar em média R$ 200,00 com o material reciclável separado pelos condômi­nos do Villagio.

“Além disso, eles ganham móveis usados, roupas e mantimentos dos moradores e isso faz parte de um trabalho social muito im­por­tante”, disse Juliana. Mas não é somente a separação do lixo que faz parte desse trabalho educativo. Os moradores dos 216 apartamentos do condomínio já tiveram a oportunidade de participar de um bingo onde os prêmios foram frutas e verduras e de um baile ambi­ental, realizado no salão de festa do Vil­lagio, na sexta-feira, dia 16, cuja entrada foi uma sacola de materiais reciclá­veis.

“O pessoal está entendendo o recado e tem contribuído com este trabalho social e ambiental”, destacou Fabia­ne. De acor­do com o diretor presidente da Coha­bi­tar, Alan Henning, este é um traba­lho importante, uma vez que o condomínio possui uma área de preservação ambi­ental, com uma nascente. “Através de uma solicitação da Coha­bitar a Secretaria do Meio Ambiente também já esteve no local para fazer um trabalho ambiental com os moradores”, complementou.

VEJA TAMBÉM

Caminho certo

É fato que a língua do povo sempre foi afiada e impiedosa. Os juízes da vida dos outros de plantão se adiantam em ser investigadores,

Compartilhe