Centro de Convivência Ulysses Guimarães cumpre um papel importante na vida da 3ª Idade

Um lugar agradável, que garante aos membros da Terceira Idade autonomia e independência para que possam buscar uma melhor qualidade de vida no seu processo de envelhecimento. Assim é o Centro de Convivência Ulysses Guimarães, entidade mantida pela Prefeitura de Araucária, que vem desenvolvendo um importante trabalho na inserção dos idosos na sociedade.

O centro tem como meta defender e executar os direitos da classe, através de atividades sócio-educativas, culturais, esportivas e assistenciais, para que os idosos possam ter oportunidades e direitos respeitados na sua velhice.

Para isso, o centro oferece oficinas de artesanato como a de fuxico, que acontece todos os dias; de pátina em madeira, nas terças, quartas e quintas-feiras e a de pintura, nas terças e quintas-feiras. Os materiais são fornecidos pela Prefeitura e os artigos confeccionados são vendidos para que a renda obtida possa compor a compra de materiais.

“Nossas artesãs vendem suas produções por preços bem acessíveis e qualquer pessoa da comunidade poderá adquirir as coisas lindas que elas fazem”, comenta a coordenadora do centro, Adriana Cocci de Moraes. Apesar de ter assumido o cargo há apenas 10 meses, ela já demonstrou sua capacidade de inovar, implantando novas atividades e serviços para melhorar a qualidade de vida dos idosos. “As pessoas precisam entender que a velhice não é sinônimo de tristeza, mas uma idade de muita alegria e de cultivar as experiências adquiridas ao longo dos anos”, disse.

A segunda casa
Para muitos idosos, o Centro representa sua segunda casa, um lugar repleto de amigos e sempre aberto para atendê-los, em todas as suas necessidades. Tereza Aparecida da Silva tem 67 anos e freqüenta o local há seis. Ela disse que só não aparece por aqui nos sábados e domingos porque o Centro fecha nos finais de semana. “Me sinto bem aqui porque todos os funcionários são carinhosos e fico triste quando não posso vir”, comenta.

Maria José Dutra, 71 anos, também elogiou o Centro. “Se tirarem isso da gente vamos ficar doentes. Venho sempre que posso e procuro me envolver nas atividades para levar uma vida mais saudável”, observou.

Da mesma forma João Diniz Siqueira, de 87 anos, disse que há oito anos freqüenta o local e que se pudesse viria morar aqui. “Venho jogar dominó com meus amigos e amigas, conversamos muito e fizemos companhia um para o outro. Aqui os funcionários são cem por cento e tratam os velhinhos com muito amor”.

Saúde
Além de participar de atividades recreativas, jogos, brincadeiras e bailes, os idosos também recebem uma atenção especial na área da saúde. Diariamente são acompanhados pela enfermeira Bernadete Charvet Machado, que realiza um trabalho integrado com a professora de Educação Física, Julia Kocholi.

“Ele se sentem bem com as atividades físicas e nós estamos sempre de olho na saúde deles. Fizemos um controle da pressão arterial, ministramos palestras educativas e preventivas e damos orientações sobre problemas que são decorrentes do envelhecimento, o que é normal e o que não é dentro desse processo”, disse Bernadete. Quando necessário, os idosos são encaminhados para os centros de saúde do município. “O atendimento é completo, pois envolve desde o psicológico até o físico e o emocional”, completa a enfermeira.

Também na saúde, os idosos participam de atividades de alongamento, caminhadas, ginástica, aulas de dança, treinamento de vôlei e basquete, entre outras. “Participamos todos os anos dos Jogos da 3ª Idade promovidos pela Paraná Esporte e também dos Jogos da 3ª Idade da Região Sul, este último a cada dois anos. Mas nosso objetivo não é competir, mas promover uma integração entre a classe”, conta a professora Julia.

Ela disse que o mais importante desse trabalho é poder ver o retorno, quando o idoso chega e diz que sua saúde está bem melhor graças a prática de exercícios. “Agora vamos ampliar este trabalho com a implantação da Oficina de Qualidade de Vida, que vai trabalhar com o reflexo, memória e a lateralidade, na tentativa de prevenir problemas como o Mal de Alzheimer”.

Outra atividades importante que a professora destaca são as caminhadas nos parques. Todas as segundas-feiras os idosos caminham nas imediações do Centro de Convivência e uma vez por mês o passeio é num parque de Curitiba ou da região metropolitana. “Também temos um projeto importante voltado aos cadeirantes, que é a dança sênior sentada. Aqui todos têm oportunidades”.
Serviço: O Centro de Convivência dos Idosos fica na Avenida Brasil, número 379 e o fone é 3901-5196.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe