Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

“Na duvida os números indicam o caminho” é um antigo ditado que os próprios números recolhidos do IBGE evidenciam quando comparados a nossa cidade.

Ponta Grossa hoje é o maior parque industrial do interior do Paraná arrecadando 926.888, lembre-se que Araucária arrecada 1.031.236, e já ultrapassou Cascavel, tornando se a quarta maior cidade paranaense em população. Explica o movimento a Joinville, que com receita total de 2.280.394, demonstra a pujança da Manchester catarinense, justificada hoje como terceira maior cidade da região sul, já que ultrapassou Londrina em população. Paranaguá com seu moderno porto e população similar a de Araucária arrecada metade das nossas receitas. São José dos Pinhais modernizou seu aeroporto e com duas montadoras incrementou sua economia totalizando receitas de 1.088.031 sendo hoje a quinta maior cidade do Paraná.

Salta a vista neste cenário de pujança econômica que Araucária ainda é o município mais rico quando comparado o PIB per capita num raio de 120 km, mesmo tendo aceito de braços cruzados o fechamento da Ultrafértil, privilegiando a importação de fertilizantes pela Yara, e a Repar operando mea boca, também privilegiando a importação dos refinados e amados produtos americanos, gerando desemprego de brasilenhos uniformizados pela Nike, ainda que o falacioso “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos” massageie o ego do devoto miliciano mas não enche a barriga do povo.

A concentração das carretas que transportam os produtos destes polos industriais congestionam o movimentado contorno sul de Curitiba e já esta na hora de pensar uma nova alça além do perímetro metropolitano. Uma solução delineada parte da BR 376 no acesso da Audi em S.J. dos Pinhais, onde 3 km duplicados já ligam a montadora e BR, a seguir 12 km em paralelepípedo chega se a Sumitomo Pneus na Fazenda Rio Grande, basta retificar um pouco o trajeto que a alça estará pronta, visto que a ligação de Araucária/Campo Largo já existe e será duplicada, e de Araucária/Fazenda Rio Grande também existe pela Estrada do Tietê, enfim há solução para eliminar o estrangulado contorno Sul.

Texto: Edison Bueno

Publicado na edição 1285 – 28/10/2021

VEJA TAMBÉM

Guerras Híbridas

Desde o inicio dos tempos invejar coisas alheias atiça a cobiça e se o desejo

Petrobras

É a face do Brasil que mais produz riqueza e infelizmente muito mal compreendida. É

Francisco Galarda

Essa rua do histórico bairro São Miguel ainda mantém características de estrada rural devido à

Duvidar das coisas

Questionar faz parte do debate consciente, pois é processo evolutivo das coisas, enquanto no facebook