Irineu Cantador, Josué Kersten, Pedro Ferreira de Lima, Lucínio Grebos e Esmael Padilha mudaram de partido depois de eleitos

Desde que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) considerou que os mandatos de deputados e vereadores pertencem aos partidos e não aos candidatos eleitos, vários boatos vêm correndo pela cidade de Araucária sobre como esta nova interpretação do TSE vai refletir no município.

Isso porque nada mais do que cinco dos onze vereadores eleitos já trocaram de partido desde a posse, em 1º de janeiro de 2005. São eles: Irineu Cantador, Lucínio Leônidas Grebos, Esmael Padilha, Pedro Ferreira de Lima e Josué Kersten. Este último está licenciado do cargo, porém, seu suplente, Rui Sérgio Alves de Souza, que ocupa o cargo de vereador no momento, também trocou de partido.

Se a nova interpretação do TSE, que já estava prevista na legislação, for colocada em prática e os vereadores que trocaram de partido forem obrigados a deixar o cargo, teríamos os seguintes suplentes assumindo os mandatos: na vaga de Esmael Padilha, que trocou o PSL, partido pelo qual foi eleito, pelo PMDB, assumiria Ozório Pereira.

A vaga de Josué, eleito pelo PTN, iria para Rui Sérgio, porém, como este também trocou de partido, a vaga do PTN seria de Silvio Vaz. Pedrinho, que recentemente deixou o PDT, pelo qual se elegeu, abriria espaço para Gilson Pedro Karas. Já no lugar de Irineu e Lucínio, eleitos pelo PL, assumiriam Adriana Cocci e Timóteo. No entanto, como Adriana também deixou o PL, sua vaga ficaria com Augusto Gadonski.

Regulamentação
A nova interpretação do TSE para a situação só aconteceu porque os Democratas (antigo PFL) fizeram uma consulta ao Tribunal sobre o assunto. Em breve, o TSE deve detalhar a norma, o que propiciará uma interpretação mais clara da situação. Mesmo assim, o PMDB do Paraná já disse que apresentará requerimento ao presidente da Assembléia Legislativa do Paraná (Alep), Nelson Justus, solicitando que ele declare vacância da cadeira de Geraldo Cartário na Alep. Acontece que Cartário foi eleito pelo PMDB, mas recentemente trocou de partido, foi para o PSDB.

Assim como fez o diretório estadual do PMDB, os partidos e suplentes que se sentirem prejudicados em Araucária também podem requerer ao presidente da Câmara, Esmael Padilha, que declare a vacância das cadeiras dos vereadores que trocaram de partido. Se ele vai aceitar já é outra história.

Para o presidente da Câmara, a nova interpretação ainda precisa de regulamentação. “Particularmente, penso que a nova interpretação do TSE só deva valer para as próximas eleições”, disse. Esta história ainda vai longe.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe