Para os católicos começou na quarta-feira, dia 21, a Quaresma, um período de 40 dias que se estende até a Páscoa, quando é celebrada a ressurreição de Jesus e a vitória da vida sobre a morte. Neste período, muitos fiéis se entregam ao jejum e à oração.

Segundo o padre Francisco Mazur, da Paróquia Nossa Senhora dos Remédios, o período da Quaresma é marcado pelo início da Campanha da Fra­ternidade de 2007, que este ano tem como tema Fra­ternidade e Amazônia. “Dentro desta programação faremos encontros com as comunidades atendidas pela nossa paróquia. Será uma espécie de subsídio integrado, onde as pessoas vão discutir sobre os desmatamentos, exploração voltada ao lucro, povos indígenas, benefício privado sem levar em conta o interesse público, biopirataria e migração das pessoas para os centros urbanos, além de outros assuntos inerentes ao tema”, explicou o padre Francisco.

No encerramento do período de 40 dias acontece a Coleta da Solidariedade, que será no Domingo de Ramos, dia 1º de abril. “Além desta programação, teremos um momento de reflexão que é inerente à própria Quaresma”.

Missões
A Quaresma tem duas missões. A primeira é recordar da passagem do povo hebreu do Egito para a terra prometida, ocorrida entre os anos 1270 e 1238 a.C. A segunda é lembrar a atitude de Jesus que, anos mais tarde, recordou a passagem permanecendo quarenta dias e quarenta noites no deserto, entregue às orações e analisando sua missão. Foi a partir disso que ele passou a propagar sua doutrina.

No deserto, Jesus jejuou e orou. Por isso, nesse período, alguns cristãos seguem seu exemplo e se entregam a pequenos sacrifícios, também com o objetivo de construir uma identidade pessoal.

Algumas pessoas, durante os próximos quarenta dias, deixarão de comer carne. Outras, na tentativa de fortalecer o espírito, passam a meditar profundamente sobre a Bíblia, dedicam-se a obras de caridade e deixam de realizar algumas atividades rotineiras, como por exemplo assistir à televisão. O momento é de reflexão e serve para rever a vida e abandonar os pecados, tornando-se uma pessoa melhor.

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe