Ela reclama que foi vítima dos arrombadores e que não recebeu atenção da Guarda Municipal

A comerciante Cristina da Cruz, que possui uma barraca de churros e sorvetes no centro da cidade, ficou insatisfeita com o desempenho da Guarda Municipal. Segundo ela, neste último final de semana, seu estabelecimento foi alvo dos arrombadores e, ao solicitar auxílio da Guarda, não obteve resposta.

“Felizmente fui avisada a tempo e consegui impedir que os ladrões levassem minhas coisas, mas quando acionei a Guarda Municipal, cuja central fica bem em frente à minha barraca, para pedir ajuda, não fui atendida”, reclamou. Ela conta que havia guardas de plantão e que nenhum foi atender seu chamado. “Já fui assaltada aqui umas cinco vezes e tive muitos prejuízos, por isso gostaria que dessem mais atenção para a segurança dos nossos comerciantes”, comentou.

Interrogado sobre a questão, o capitão José Joval Conceição, diretor da Guarda Municipal, explicou que os plantonistas podem não ter ouvido o chamado de Cristina, pois na sede não existe campainha e eles ficam atentos as chamadas via rádio, o que acaba provocando muito barulho. No entanto, ao tomar conhecimento do problema, o capitão enviou o inspetor da Guarda, Ézio Bosi, para conversar com a moradora e verificar o ocorrido.

“Fomos até lá falar com ela e nos prontificamos em ficar mais atentos a este tipo de situação. A comerciante mostrou-se satisfeita com nossa atitude”, comentou o inspetor.

Diante de situações como esta, a população acaba esquecendo que a atribuição nesses casos compete à Polícia Militar. Porém, a Guarda Municipal acaba indo além do seu papel, que é o de cuidar do patrimônio público e, na medida do possível, vem atendendo aos chamados da população.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe