Eles têm medo que o terreno desabe e engula a casa de um casal de idosos

Os moradores do Jardim Dalla Torre parecem não ter mais sossego. Não bastasse um buraco que se abriu na esquina das ruas Paulo Gomes de Azevedo com a Juscelino Kubitschek de Oliveira, problema já solucionado pela Secretaria Municipal de Transportes, uma cratera que está se formando num terreno localizado na mesma esquina, do outro lado da rua, está deixando a comunidade preocupada.

Antônio Gomes dos Santos e a esposa Josefina Matias dos Santos, donos de uma parte desse terreno, moram no local há cerca de 25 anos, e estão apavorados, com medo de que a casa caia dentro do buraco. Segundo eles, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente já visitou o local e disse que precisa ser feito um muro de concreto para conter a erosão. “Como vamos fazer um muro dentro dessa cratera? Acho que isso não resolveria o nosso problema. Isso aqui precisa ser aterrado”, disse Seu Antônio. Ele comentou ainda que a erosão já engoliu várias árvores e uma boa parte do seu terreno e que o mato está tão denso que já foram vistas cobras e ratos no local.

A presidente da associação de moradores do Dalla Torre, Maria Apa­recida da Silva disse que este buraco já virou história no bairro. “Já veio até reportagem de um canal de televisão da capital e de vários jornais, mas até agora nada foi resolvido”, comenta. Segundo ela, a associação já enviou fotos para a Prefeitura, pedindo uma solução, mas até agora a situação continua na mesma. “Nossa vila só é lembrada em épocas de campanha eleitoral”, reclamou Maria.

Soluções
Segundo a Secretaria Municipal dos Transportes, trata-se de um problema ambiental, pois no terreno existe um córrego e, aparentemente, a casa do Seu Antônio está irregular, pois deveria ter sido construída a uma distância superior a três metros do córrego, o que não aconteceu.

Interpelado sobre a questão, o secretário interino do Meio Ambiente, Tadeu Lukaski, disse que existem muitos terrenos como este, que foram aprovados de forma irregular e que precisa verificar a documentação para ver se o mesmo pertence à Prefeitura. O secretário informou ainda que fará um levantamento completo para depois emitir um parecer sobre a questão.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe