Não apenas a valorização dos atendentes infantis, mas também a adequação dos espaços de trabalho é uma luta que o SIFAR e a categoria enfrentam há tempos. Nesta última quinta-feira (28), ocorreu um incêndio que iniciou por volta das 9h em um galpão de madeira onde funcionava um depósito e lavanderia do CMEI Fazenda Velha. Foi um grande susto, pois foi necessária a evacuação imediata dos funcionários e infantes que estavam no local.

É certo que não foram registrados mortos nem feridos, no entanto tamanho sobressalto poderia ter causado uma tragédia sem precedentes. De acordo com dados do Conselho Municipal de Educação, existem no Município aproximadamente 33 unidades (aqui incluído o CMEI Fazenda Velha) que não possuem laudo do corpo de bombeiros, razão pela qual o Conselho não as autorizou. Entre estas unidades, estão próprios e imóveis locados, sendo que os problemas mais graves ocorrem nos locados em virtude de nem sempre estarem adaptados para espaço educacional.

Pedimos aos servidores e usuários do serviço que nos auxiliem na fiscalização destes espaços, seja solicitando em cada espaço o laudo do corpo de bombeiros e, por que não, da vigilância sanitária. É que quando a população se une para exigir espaços educacionais e públicos seguros e próprios para o atingimento de suas finalidades, os administradores se motivam a resolver problemas já que, quem depende de votos para ascensão nos espaços públicos não pode vincular a imagem à escândalos e tragédias.

Diretoria do SIFAR

VEJA TAMBÉM

Caminho certo

É fato que a língua do povo sempre foi afiada e impiedosa. Os juízes da vida dos outros de plantão se adiantam em ser investigadores,

Compartilhe