Expectativa é que Olizandro exonere CCs esta semana

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Expectativa é que Olizandro exonere CCs esta semana
Até agora o peso da caneta de Olizandro cortou horas-extras e funções gratificadas

Desde que veio à tona a informação de que a arrecadação de impostos do Município de Araucária está capengando, o que acabou por jogar o índice de gastos com pessoal da Prefeitura acima do limite prudencial previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), foram várias as medidas anunciadas pelo prefeito Olizandro José Ferreira (PMDB) para tentar devolver o percentual à legalidade. Entre elas estava o corte de horas-extras e de funções gratificadas, bem como a exoneração de vinte por cento dos cargos em comissão existentes hoje nas secretarias municipais

Até agora, no entanto, somente as duas primeiras medidas foram efetivadas. Inicialmente, a promessa de Olizandro era a de que os comissionados seriam exonerados em 30 de abril. Depois, a data foi postergada para 10 de maio sob o argumento de que seria este o dia em que a Secretaria Municipal de Gestão de Pessoas (SMGP) fecha a folha de pagamento do funcionalismo. Porém, de novo, o compromisso foi adiado. Ventilou-se então que o dia “D” teve que ser adiado, pois não haveria – vejam só – dinheiro em caixa para pagar as rescisões desses CCs, que em virtude da demissão tem direito a receber indenização de férias e décimo terceiro.

A nova data para a exoneração dos comissionados passou então para 30 de maio. Ou seja: depois de amanhã, bem no feriado de Corpus Christi. A expectativa, porém, é que o Diário Oficial do Município já traga o nome dos escolhidos para deixar o governo de Olizandro já nesta quarta-feira, 29 de maio, pondo um basta na “empurração de barriga” que está virando essa novela.

A exoneração de um quinto dos comissionados é de extrema importância para dar um pouco mais de tranquilidade as finanças do Município e, do mesmo modo, legitimidade as ações moralizadoras da folha de pagamento implementadas pelo governo de Olizandro. Isto porque até o momento os únicos afetados pelas medidas foram os servidores efetivos, o que acabou gerando um desgaste entre o prefeito e esse nicho do funcionalismo.

Com a demissão da parcela de comissionados, Olizandro dará o recado final àqueles que ainda acham que a situação das finanças do Município não é preocupante. Caso não os exonere, porém, dará as armas que seus adversários precisam para fulminar sua administração.