Os funcionários bem que se esforçam, mas a falta de efetivo, principalmente médicos e nos finais de semana e feriados está deixando a população irritada. Na noite de ontem alguns moradores ligaram para nossa redação afirmando que ficaram horas esperando serem atendidos. O responsável pelo plantão, muito atencioso, explicou que somente naquele dia estavam com desfalque de quatro funcionários.

Um estava de férias, outro ligou dizendo que o filho estava doente, e os outros simplesmente não apareceram. Na hora em que nossa reportagem foi ao local, 20h00, não havia pediatra e nem estava previsto nenhum até as 7h00 de hoje quando iniciaria o novo turno. Os clínicos gerais é que deveriam resolver os casos mais graves. Porque aqueles de menor complexidade iriam esperar mesmo.

A coordenadora da unidade, Jucelma Martinato, bus-cou ajuda nas outras cidades da RMC e descobriu que a situação também estava ruim em Curitiba. Porém, em Campo Largo ela descobriu que havia um pediatra de plantão para onde poderia encaminhar casos mais complexos de crianças pequenas. “Estamos com deficiências de pediatras porque não temos mais filas de espera.

Em março sairá o edital para concurso para 3 pediatras e 4 clínicos gerais especificamente para Nis”, garantiu Josué de Oliveira Kersten, secretário de Saúde. Segundo ele havia sido marcado que uma pediatra iria substituir o pessoal que está de férias, mas ela não apareceu. Nestas situações, o secretário disse que será pago horas extras aos médicos mesmo que os valores extra-po-lem o determinado no plano de cargos e salários recentemente implantado pela Prefeitura de Araucária. Enquanto isso, o negócio é ter paciência.

VEJA TAMBÉM

Caminho certo

É fato que a língua do povo sempre foi afiada e impiedosa. Os juízes da vida dos outros de plantão se adiantam em ser investigadores,

Compartilhe