Muitos funcionários estão acumulando funções para poder dar conta do recado

Que o sistema de atendimento no Posto 24 horas do NIS está sobrecarregado não é novidade pra ninguém. Mas o que poucos sabem é que a maioria dos funcionários vai além das suas funções para poder atender a todos os usuários.

Segundo a coordenadora administrativa do NIS, Jucelma Martinatto, o problema acaba se tornando uma faca de dois gumes: de um lado a Secretaria Municipal de Saúde buscando alternativas para melhorar o sistema, do outro, a população reclamando do atendimento. “Estamos com uma demanda muito grande de pacientes, e realmente nosso quadro está deficitário além do que alguns funcionários estão acumulando funções. Mas a Secretaria já está se agilizando e vai contratar para o mês de maio mais nove funcionários, o que deverá melhorar o processo”, disse.

Jucelma comentou que uma outra medida que deverá ser adotada é a mudança na escala da enfermagem. “Implantamos uma escala de horários que acabou não dando certo e agora faremos algumas alterações, tudo visando atender melhor os pacientes e deixá-los menos tempo na fila de espera”, explicou.

A coordenadora lembrou ainda que também será feita uma reestruturação física na recepção do NIS. “Vamos melhorar o acolhimento aos pacientes e implantaremos um atendimento diferenciado. As pessoas serão atendidas por ordem de prioridade e não de chegada. Os casos mais graves passarão na frente”.

A realidade
Na quarta-feira, por volta das 21 horas, a reportagem do O Popular esteve no NIS para acompanhar o trabalho da unidade e constatou a insatisfação dos pacientes e a demora no atendimento. Constatou também que a mesma funcionária que preenchia as fichas de atendimento era quem fazia a triagem dos casos mais urgentes, o que acabou gerando uma espera ainda maior para os que estavam na fila.

Nalinle Sieczka levou o filho de 10 anos para o pronto socorro, com suspeita de fratura, por volta das 21 horas, só foi atendida por volta das 22h35min. Outra paciente, Cristiane, de 22 anos, que mora na Fazenda Velha e passou mal quando se dirigia para sua casa, também ficou horas aguardando pelo atendimento. Da mesma forma Silvana Lourenze, 22 anos, que deu entrada no NIS às 21h15, com crise de hipertensão, foi atendida às 22h35min.

A coordenadora Jucelma Martinatto explicou que nesse dia a situação estava conturbada devido à falta de atendentes, principalmente no setor de pediatria. “Entre as 19 horas da quarta-feira (18) até as 7 horas da manhã de quinta (19), 169 pessoas foram atendidas (incluindo todos os procedimentos) por uma escala de plantão formada por 14 funcionários, além de três clínicos gerais e três pediatras. Estamos fazendo o possível para atender bem, mas é importante que as pessoas saibam que temos algumas limitações”, concluiu.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe