Eis que estamos começando mais um ano. Embora o dia primeiro de janeiro seja o seguinte, logo depois do dia trinta e um de dezembro, sem folga ou tempo para avaliações e análises, é o início de um novo ciclo. Época em que as pessoas acabam, uns mais outros menos, fazendo uma avaliação do ano recém-findo, as coisas boas que aconteceram, os projetos realizados, e também as coisas ruins e aquilo que foi deixado para depois. O depois chegou e é agora. Todo mundo tem lá seus desejos. A casa própria ainda parece ser o maior sonho para a família brasileira. Carro, emprego e até ganhar na loteria. A lista dos sonhos não tem fim. (Dê uma olhada na matéria que preparamos em nossa página 4).

Sonhar é algo que podemos fazer à vontade e costuma ser o que nos move em nossa vida cotidiana. Mas é vital, contudo, que não se tire os pés do chão para chegar até o sonho. O brasileiro médio gosta de avaliar o que passou, mas faz isso mais ou menos. O passo seguinte seria planejar o ano, estabelecer metas e ir à luta. Com um objetivo em mente é muito mais fácil fazer do sonho uma realidade.

O ano passado foi muito difícil. Foi marcado por uma forte queda no movimento do comércio de um modo geral na cidade. A Prefeitura passou por um arrocho financeiro terrível. Dois mil e quatorze – vejam só – já começa com a boa notícia de que nos últimos dias de 2013 entraram nos cofres municipais algo em torno de R$ 10 milhões a mais do que o previsto pelo setor de Finanças da Prefeitura. Isso, sem dúvida, já deve dar um fôlego extra para o gestor municipal administrar a cidade.

De resto, por aqui fica nosso desejo de que este ano seja um ano muito mais promissor e cheio de realizações do que foi 2.013. Mentalizemos isso e boa leitura.
 

VEJA TAMBÉM

Compartilhe