O juiz Evandro Portugal considerou a que não há motivação para deflagração do movimento grevista. Sismmar vai recorrer

O juiz da Vara Cível de Araucária, Evandro Portugal, concedeu liminar na sexta-feira, dia 23, obrigando os professores da rede municipal de ensino a suspenderem a operação tartaruga, deflagrada pelos docentes na última quarta-feira, dia 22. A liminar obrigando os professores a voltarem a dar as aulas normalmente foi pedida pela Prefeitura de Araucária.

Em seu despacho, o juiz argumenta que “não há qualquer motivação para a deflagração do movimento grevista com paralisação dos professores da rede de ensino municipal”. No mesmo documento, o magistrado ainda autorizou a Prefeitura a lançar as faltas do professores que insistissem com a paralisação parcial, deixando de ministrar suas aulas.

O Sindicato dos Professores (Sismmar) foi comunicado oficialmente da decisão do juiz Evandro Potugal ainda na sexta-feira e, em seguida, repassou o conteúdo do despacho para as escolas municipais.

Recurso
O presidente do Sismmar, Wilson Ubiratan Fernandes, o Bira, informou na noite de ontem, dia 26, que o sindicato irá recorrer da decisão da Vara Cível de Araucária ainda hoje. “Vamos tentar derrubar a liminar e amanhã (28) toda a categoria irá se reunir para decidir se entraremos em greve, ou não”, disse. A assembléia dos professores que decidirá pelo início da greve do magistério municipal está marcada para amanhã, dia 28, às 10h, no Salão Paroquial da Igreja Matriz.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe