Lentidão para conseguir a CNH irrita alunos de auto-escolas

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Mais que habilidade, tirar a carteira de motorista em Araucária está exigindo muita paciência. A demora na realização da prova de Legislação e do teste prático de direção veicular está irritando os alunos dos CFCs – Centros de Formação de Condutores. As reclamações são em relação à demora para fazer a prova prática. Alguns ainda criticam o atraso de até 30 dias para entregar a carteira.

Se depois das aulas a prova nas ruas demora muito, o candidato corre o risco de perder a prática e não conseguir realizar um bom teste. “A gente tira a CNH pra poder dirigir, mas se demorar muito a gente acaba esquecendo tudo”, disse um aluno.

“Isso é um absurdo, a gente se esforça em fazer todas as aulas, falta serviço, adapta os horários, gasta uma grana e ainda se vê obrigado a ter que ficar todo esse tempo esperando pra mostrar que aprendeu e finalmente tirar a carta”, afirma outro aluno.

Justificativa
A explicação da Circunscrição Regional de Trânsito – Ciretran de Araucária é de que falta estrutura maior para atender a demanda. Além disso, o Detran abre a agenda de testes nos dias 27 e 28 de cada mês, com as vagas disponíveis para o mês seguinte e quem faz a programação dos candidatos para tirar a CNH são os próprios CFCs.

“Ainda por cima os CFCs devem priorizar os candidatos que reprovaram na prova anterior, porque estes correm o risco de ter o processo cancelado”, explica Caetano Henning, chefe da Ciretran de Araucária.

Segundo ele, em julho foram abertas 600 vagas para testes de legislação e em agosto o número foi de 500.

O Chefe da Divisão de Habilitação do Detran, Juarez Roslindo, confirma a explicação e comenta que as vagas são abertas de acordo com a estrutura das Ciretrans. “O problema é que a demanda aumentou muito nos últimos tempos, mas nós já estamos fazendo um estudo para melhorar a estrutura das Ciretrans, visando atender mais candidatos. Para isso, o Detran pretende iniciar em breve o treinamento de novos examinadores”, disse.

Ele concorda que a quantidade de vagas oferecidas diariamente para Araucária (no caso do teste prático são 85) é pouco devido ao grande número de candidatos que estão na fila. “São 85 vagas para seis Centros de Formação. É muito pouco”, comenta.

A disputa pelas vagas
De um lado estão os alunos irritados com a demora na marcação das provas. Do outro lado, estão os donos dos CFCs, que todos os meses são obrigados a disputar as poucas vagas abertas.

“O Detran oferece uma quantidade de vagas que não condiz com a realidade do município e isso dificulta nosso relacionamento com os alunos, que nem sempre entendem que fizemos o possível para agilizar o processo, mas nem sempre conseguimos”, argumenta Claudecir Fernandes, proprietário do CFC Opção.

Só para se ter uma idéia do problema, ele comenta que ainda estamos no dia 5 do mês de agosto e já não existem mais vagas para provas até o final do mês. “Temos que aguardar a abertura da agenda do Detran, entre os dias 26 e 28, para agendar novos candidatos. Sem contar que temos que ficar antenados porque não existe um limite de vagas para cada CFC e quem chegar primeiro leva”, reclama.

Da mesma forma o diretor geral do CFC Pratense, Silvestre Mafra, diz que a marcação de provas acabou virando uma guerra. “As vagas são poucas e os candidatos são muitos e nós ficamos de mãos atadas, tendo que nos justificar perante os alunos, que nem sempre entendem onde está o entrave. Na verdade eles têm razão, porque em alguns casos a demora é tanta que o aluno acaba esquecendo o que aprendeu e precisa pagar mais aulas para se preparar para o teste”, pontua.