Durante todo o dia, movimento foi grande no Salão Paroquial. Alguns esperaram mais de dez minutos na fila para votar

Araucária conheceu no último sábado, dia 21,os cinco novos conselheiros tutelares do município, que terão o dever de zelar pelos direitos da criança e do adolescente que residem na cidade. Ao todo, 11.082 eleitores compareceram ao Salão Paroquial da Igreja Matriz para participar da eleição, o que representou um total de 36.936 votos válidos, considerando que cada pessoa poderia votar em até cinco candidatos.

No final, os eleitos foram Joselito Bueno, com 1.537 votos; Fabíola Karas, com 1.452 votos; Eduardo Melo, com 1.444 votos; Ângelo Ribeiro, com 1.285 votos e Fraciele Menegatti, com 1.236 votos. A votação individual de cada candidato você confere na página 4.

A grande participação da comunidade surpreendeu a comissão organizadora da eleição, que não esperava que o número de eleitores passasse de 10 mil. “Tivemos um aumento de 34,45% no número de votantes com relação à eleição realizada em 2004”, comemorou a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Elisiane Berno, acrescentando que este aumento é um sinal de que a população está realmente preocupada com a causa das crianças e dos adolescentes. Ainda segundo informações fornecidas pelo Conselho, o total de votos brancos foi de 16.538 e os nulos foram 1.936.

Madrugada
Assim que as urnas foram fechadas, às 17h, a comissão eleitora já começou a trabalhar na apuração dos votos, que começou às 18h e entrou madrugada adentro, sendo concluída por volta das 2h30 de domingo, dia 22. Enquanto os votos eram apurados, os resultados parciais eram mostrados num telão instalado dentro do Salão Paroquial para que os simpatizantes e cabos eleitorais de cada candidato pudessem acompanhar. Desde as primeiras parciais, o nome de Joselito esteve sempre à frente e, aos poucos, os nomes dos outros quatro eleitos também foram se desenhando.

A posse dos novos conselheiros acontece no dia 1º de junho. Antes disso, porém, eles participarão de um curso intensivo sobre quais são as atribuições dos conselheiros e de como funciona a rede de proteção à infância no município. Os eleitos ficam no cargo por três anos.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe