Matam casal e bebê de seis meses

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Horas antes de a semana acabar, às 22h de sábado, dia 26, bandidos arrombaram a porta de uma casa a chutes e pontapés, deram vários tiros e fugiram. A vizinhança diz que, àquela hora, já estava recolhida e não viu quem fez os disparos, apenas ouviu os estampidos. Somente quando o silêncio voltou, um dos vizinhos teve coragem de entrar na residência para verificar o que tinha acontecido. Na sala, encontrou Yuri Cristian Feringer Soares, 24 anos, assassinado. No quarto, deparou-se com a mulher do rapaz, Ana Julia Aragão Cardoso Feringer, 23, também morta, mas ainda segurando nos braços a filha Jullyane Rosa Cardoso Feringer, de apenas seis meses.
Todos os membros da família haviam sido baleados na cabeça, mas a bebê ainda apresentava sinais vitais. O vizinho socorreu a menina e com a ajuda de guardas municipais a encaminhou para o PS do NIS III. Contudo apesar da tentativa de salva-la, a criança não resistiu aos graves ferimentos. A Polícia Civil não sabe se houve intenção dos bandidos em também matá-la ou se um tiro destinado a Ana acertou a filha dela. Nas palavras do titular da Delegacia, Rubens Recalcatti, “de qualquer modo, trata-se de uma barbárie aterrorizante”.

Matam casal e bebê de seis meses
Vizinho encontrou corpo de Yuri estendido na sala da casa

Inquérito
O triplo-homicídio aconteceu na Rua Três de Abril, na área de ocupação irregular conhecida como Portelinha, situada no Bairro Capela Velha. Policiais militares da 2ª Companhia do 17º Batalhão, acionados pela GM, se dirigiram para o local e o isolaram até a chegada da Criminalística e do IML. A equipe da DP começou a investigação ainda na cena do crime e apurou que o casal teria vindo do Maranhão para o Paraná há cerca de um ano e se mudado recentemente para aquela casa. Mesmo assim, a família já planejava ir embora, tinha colocado uma placa de “vende” no portão e começado a arrumar a mudança.
Policiais receberam a informação de que bandidos já vinham ameaçando o casal e teriam dito que “daquela semana eles não passariam”. Inclusive, o irmão de Ana, Tiago Augusto Cardoso, 26 anos, que levou quatro tiros, no final da tarde do sábado anterior, dia 19, teria sido baleado porque estava com a moto do cunhado e teria sido confundido com ele. “O Tiago teve ferimentos graves, mas sobreviveu e ainda está hospitalizado. Acredito que esse e outros crimes que aconteceram na região estejam todos relacionados. Temos feito várias diligências, conseguimos várias informações e temos várias linhas de investigação e também vários suspeitos”, afirma o delegado.

Matam casal e bebê de seis meses
E Ana caída ao lado da cama, no quarto