Moradores viram agentes ambientais

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Lideranças comunitárias que também serão os futuros moradores do Jardim Esperança I participaram do curso de Agente Ambiental, oferecido entre os dias 4 e 6 de agosto pela Cohabitar – Companhia de Habitação de Araucária em parceria com a prefeitura.

De acordo com a assistente social da Cohabitar, Tatiana de Souza, o curso faz parte das exigências do Programa Habitacional do Ministério das Cidades em parceria com a Caixa Econômica Federal.

“Conseguimos junto ao governo federal a construção de 50 casas populares no Jardim Esperança I para famílias de baixa renda inscritas na Cohabitar, mas para que possam usufruir o benefício precisam passar por atividades de organização comunitária, educação ambiental e de geração de renda”, explica.

O curso, que contou com a participação de seis moradores, foi ministrado pela integrante do departamento de Educação Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente de Araucária (SMMA), Fabienne Charvet Inckot.

“Durante as aulas eles aprenderam como manter o novo bairro saudável, sem problemas de lixo nas ruas e nos córregos e com ligações corretas de esgoto. Além disso foram orientados a manter um comportamento amigável com os vizinhos, para que vivam bem em comunidade”, explica Fabienne.

Na terça-feira (5), os alunos fizeram uma visita à represa do Passaúna. “A intenção foi mostrar a eles a importância de se economizar água nos dias de hoje, principalmente porque no Jardim Esperança existe uma área de preservação ambiental com córrego que precisa ser preservada”, acrescenta o biólogo e secretário municipal de Meio Ambiente, Hino Dirlei Falat de Souza.

A aluna Elizete Fernandes Machado pretende transmitir aos vizinhos o que aprendeu. “Todos temos interesse de que nosso bairro seja um lugar agradável para viver e com certeza vou chamar atenção de quem tomar atitudes erradas, principalmente com relação à água e ao lixo”.

A previsão da Cohabitar é de até o final do ano as 50 famílias já estejam instaladas no Jardim Esperança I, pois as casas já estão em fase de acabamento para a posterior análise final da Caixa Econômica.