Representantes da Prefeitura Municipal e empresários de Araucária participaram na sexta-feira, 27 de junho, da formatura da entrega do Braçal para os novos policiais do Exército de Curitiba. A cerimônia, que também contou com a presença de autoridades civis e militares e familiares dos formandos, ocorreu na 5ª Companhia de Polícia do Exército (PE), no Pinheirinho.

O convite para a participação dos araucarienses partiu do Cap. Marcelo Ambrósio. Araucária marcou presença com Célia Soczek, da Secretaria de Governo, e Sebastião Pilatto dos Santos, coordenador do Museu Tingüi-Cuera, que na ocasião representaram o prefeito Olizandro Ferreira. Também marcou presença o empresário Carlos Gusso, diretor-presidente da Risotolândia, que recebeu o diploma Amigo da 5ª Cia – PE, da qual já fez parte.

Gusso foi incorporado à 5ª Cia do Exército no dia 20 de janeiro de 1960, como Soldado 133 Gusso. Nesse mesmo ano compôs a equipe de atletas que representou o então III Exército, no campeonato de provas militares, na cidade do Rio de Janeiro.

Posteriormente, através de uma mensagem recebida de Porto Alegre, do General Osvino, comandante do III Exército, foi elogiado juntamente com sua equipe.

Após mais de 47 anos de sua passagem pela 5ª Companhia de Polícia do Exército, Gusso, juntamente com alguns companheiros de caserna, desfilaram à frente dos jovens policiais do Exército.

Símbolo
O Braçal é o símbolo maior da Polícia do Exército, sendo entregue somente após um período de formação dos soldados, onde os mesmos passam por diversos exercícios militares, que os habilitam a desempenhar a atividade de policial do Exército Brasileiro.

“Foi uma honra poder participar de uma solenidade deste porte, na qual tivemos a oportunidade de fazer novos contatos e estabelecer uma parceria entre o Exército e a nossa cidade. O próprio autor do convite, o Cap Marcelo, colocou-se à disposição do município para apoiar na realização de eventos culturais e elogiou nossa presença no evento”, afirmou Célia Soczek

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe