PMA e Fosfertil assinam convênio para o aproveitamento dos resíduos

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Ao assinar um convênio com a empresa Fosfertil ontem, dia 8, na sede da Secretaria do Meio Ambiente, Araucária deu mais um passo para o aproveitamento dos resíduos urbanos.

Com a parceria, a prefeitura irá fornecer todo o material proveniente das podas de árvores no município para a Fosfertil, que fará a compostagem, ou seja, o reaproveitamento do material orgânico, que vai virar adubo.

De acordo com o biólogo e secretário de Meio Ambiente de Araucária, Hino Dirlei Falat de Souza, hoje o município coleta em média 50 metros cúbicos por dia de restos de podas de árvores. “Hoje esse material é enviado para um depósito onde é picado e armazenado para compostagem, mas como o volume é muito grande não conseguimos dar um destino correto”, diz Dirlei.

Com esse convênio Araucária em breve deverá fechar o ciclo do lixo urbano. “Já contamos com a coleta de recicláveis e em breve os municípios da RMC conhecerão a empresa que vai gerenciar nossos resíduos com uma nova tecnologia em substituição ao aterro da Caximba, estamos aprovando um plano de aproveitamento de entulhos e agora temos esse acordo de compostagem com a Fosfertil”, explica o secretário.

Segundo o gerente industrial da empresa, Christian Barg, a intenção é contribuir cada vez mais para o desenvolvimento sustentável da cidade. “Qualquer ação que tenha impacto positivo no meio ambiente é benéfica para todos e nos interessa. É uma grande satisfação ver concretizada a primeira etapa de muitas que ainda virão nesta parceria para a sustentabilidade”, comemora Christian.

Parte do adubo orgânico proveniente do processo de compostagem da Fosfertil será devolvido para a prefeitura, que o utilizará no Horto Municipal Florestal de Guajuvira, para o plantio de árvores e em canteiros urbanos. E para a Fosfertil, os restos de podas de árvore são necessários para o processo aplicado pela empresa.

“Todo o efluente líquido gerado passa por uma estação de tratamento, cujo processo gera de um lodo biológico. Mais tarde, esse lodo precisa de uma destinação e isso é feito com a compostagem, por isso precisamos desses restos de poda verde”, explica a chefe do setor de meio Ambiente, Saúde, Segurança e Qualidade da Fosfertil, Andréia Faggion.