alternativas para solucionar o problema do lixo eletrônico no Paraná. O encontro aconteceu na Assembléia Legislativa na terça-feira passada, dia 21, e teve como objetivo discutir, juntamente com a população e empresas produtoras deste tipo de lixo, qual é o destino mais correto para estes materiais.

Iniciativa
Segundo a assessoria de Rosane, tramita hoje na Assembléia um projeto de lei que obriga as empresas produtoras, distribuidoras ou que comercializem os equipamentos de informática a manter um programa de recolhimento, reciclagem ou destruição destes materiais.

A autoria da proposta é da própria deputada Rosane e de seu colega de parlamento, Pastor Edson Praczyk. “Antes de o projeto virar lei, é preciso ouvir as dificuldades dos fabricantes e distribuidores de equipamentos. Este foi o objetivo da audiência pública”, explicou a enfermeira, que considerou positivo o resultado do encontro.

Ainda segundo Rosane, muitos dos materiais que hoje são jogados fora, na maioria das vezes até de forma incorreta, poderiam ser reciclados. “Nossa idéia é dar um destino correto ao lixo eletrônico, reciclando o que for possível e evitando a poluição ambiental”, concluiu

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe