“Você não gosta do Zezé!”, afirmou um conhecido meu na semana passada. Aliás, esta não é a primeira vez que ele chegou a tal conclusão. Inclusive, já até escrevi sobre isso em outra oportunidade. Resolvi voltar ao assunto porque este é um rótulo que muitos vem tentando colocar neste pobre araucariense: o de não gostar do Zezé.
Sinceramente, estou pouco me lixando para o Zezé. Estou é preocupado com a minha cidade e com o quê estão fazendo com ela. Sou um jovem de vinte e poucos anos, batalhando para construir a vida e que escolheu Araucária para viver. Moro aqui desde os quatro anos e por estas bandas pretendo ficar para sempre. É só por isso que fico indignado com os buracos nas ruas, com a falta de segurança, com o famigerado mato, com a péssima qualidade do ensino e tantos outros problemas que vejo e que me afetam todos os dias quando saio de casa de manhã cedinho para trabalhar.
Agora, digam-me: de quem eu (e todos os cidadãos) devem cobrar a resolução desses problemas? Da dona da quitanda? Do funcionário da padaria? Da telefonista da Prefeitura? Da atendente do posto de saúde? Da secretária da escola? Do senhor da coleta seletiva? Não minha gente! Eu tenho é que cobrar do prefeito! Que por acaso é o senhor Zezé!
Este sujeito aí foi candidato a chefe do poder executivo porque quis. Ganhou as eleições e junto com o cargo vieram as responsabilidades. Agora, se ele não tem competência para resolver os problemas da nossa cidade que “peça pra sair!”, como diria o Capitão Nascimento. Que dê a vez pra outro. Que vá pra casa descansar que eu nunca mais toco no nome dele.
No entanto, enquanto ele continuar no cargo de prefeito e estiver fazendo uma administração medíocre como esta que estamos vivenciando, estou sim no meu direito de criticá-lo. E continuarei a fazê-lo sempre que julgar necessário. Afinal, sou cidadão araucariense. Pago meus impostos. Vivo numa democracia e a Constituição me garante o direito à liberdade de expressão.
E você, amigo leitor, também andam lhe acusando de não gostar do Zezé só porque vocês querem uma cidade melhor? Deixe seu desabafo, digo comentário. Até semana que vem!

VEJA TAMBÉM

Compartilhe