Somente no dia 25, mais de cem funcionários procuraram o Sifar para pedir esclarecimentos

Os servidores estatutários do Quadro Geral da Prefeitura de Araucária receberam ontem, dia 25, o primeiro salário depois da implantação do PCCV (Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos). Como era esperado, as dúvidas foram muitas. As reclamações também.

Segundo a Secretaria Municipal de Recursos Humanos (SMRH), 80% dos servidores ganharam ou ficaram com a mesma remuneração depois da implantação do Plano. Porém, os outros 20% acabaram tendo seus rendimentos reduzidos. A justificativa da SMRH é de que parte da composição dos salários destes funcionários era obtida através de um grande número de horas-extras e outras benesses que vinham sendo concedidas sem critérios muito claros.

Na sede do Sifar (Sindicato dos Funcionários e/ou Servidores Públicos do Município de Araucária) o movimento foi intenso durante todo o dia de ontem. Segundo o presidente da entidade, Júlio Telesca Barbosa, cerca de 100 pessoas procuraram o sindicato para esclarecer dúvidas a respeito da implantação do PCCV. Júlio explicou que o sindicato está orientando como os filiados devem agir. “Na maioria dos casos não há o que se fazer, já que as reduções nos salários se deram pelo corte no número de horas-extras e outros benefícios”.

Ainda segundo Júlio, todos aqueles servidores que se sentirem lesados devem procurar o Sifar para obter orientação. “Caso o funcionário esteja sendo prejudicado, o sindicato entrará em contato com a Secretaria de Recursos Humanos para tentar resolver o problema no âmbito administrativo. Porém, se não for possível, uma ação judicial não está descartada”, adianta.

Embora a assessoria jurídica do Sifar esteja a postos, o presidente da entidade acredita que não deve haver muitos problemas nesta fase de implantação do Plano. Mesmo assim, nas próximas semanas o sindicato pretende convocar uma assembléia com todos os filiados para discutir com os filiados o PCCV.

Contentes
Embora muitos tenham procurado o Sifar para reclamar, alguns foram até o sindicato para elogiar o trabalho da diretoria da entidade no processo de discussão do PCCV. Um deles foi o agente de segurança Antônio Ferreira da Luz. Entre outras coisas, ele disse que o PCCV dará segurança aos servidores na hora da aposentadoria. Antônio também aproveitou a ocasião para se filiar ao Sifar.

Salário-base
O diretor geral da SMRH, Airton Moreira Pinto, que participou da comissão que elaborou o Plano, esclareceu que todos os salários-base aumentaram e essa foi a grande vantagem dos servidores. “Todos tiveram um bom aumento no salário-base, que jamais poderá ser alterado por qualquer pessoa. Essa é a segurança que o Plano oferece”, enfatizou.

VEJA TAMBÉM

Compartilhe