Compartilhe esta notícia

O diretório provisório do Partido Republicano (antigo PL) no município deve decidir hoje, dia 20, se entra, ou não, com um pedido na Câmara Municipal de Araucária para que o presidente da Casa, Esmael Ferreira Padilha (PMDB), declare a vacância das vagas de Irineu Cantador (PSDC) e Lucínio Leônidas Grebos (PMDB), convocando, logo após, os suplentes do PR para assumir as cadeiras deixadas pelos dois vereadores.

Os cargos de Irineu e Lucínio estão na mira do PR desde que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) considerou, numa consulta feita pelo PFL, que os mandatos de deputados e vereadores pertencem aos partidos e não aos candidatos eleitos.

Os suplentes do PR que estão reivindicando as cadeiras na Câmara são Adriana Cocci e Timóteo. No entanto, como as vagas, pela nova interpretação, pertencem ao partido, caberá ao presidente do PR em Araucária, Ronaldo Assis Martins, a decisão de solicitar ou não as cadeiras de Irineu e Lucínio. “O partido não é meu, eu apenas sou o presidente. Logo, vamos decidir sobre o tema de maneira democrática. Em conjunto com a executiva provisória”, ensinou Ronaldo.

A nova interpretação do TSE, que ainda não foi normatizada pelo Tribunal, atinge, além de Irineu e Lucínio, outros três edis: Pedro Ferreira de Lima, Esmael Padilha e Rui Sérgio de Souza. Todos eles mudaram de partido depois que assumiram o mandato, em 1º de janeiro de 2005.

Guarapuava
Pelo menos em uma cidade paranaense o presidente da Câmara de Vereadores teve peito de devolver a vaga ao partido que elegeu o candidato. O caso aconteceu em Guarapuava, onde o presidente daquela Casa de Leis, Admir Strechar (PMDB), declarou a vacância do cargo do vereador Osdival Gomes da Costa, que foi eleito pelo PMDB, mas trocou o partido pelo PP. No lugar de Costa assumiu o peemedebista Severino Dourado.

Um dos edis que estão na mira do PR, Irineu disse à reportagem de O Popular que os suplentes têm o direito de procurarem meios para reaver os mandatos, mesmo assim ele garantiu que está tranqüilo. Já Lucínio não foi encontrado para comentar o caso. Nossa reportagem deixou recado na secretária eletrônica de celular do vereador, mas até o fechamento desta edição ele ainda não havia entrado em contato.

Compartilhe esta notícia