As regras de boa convivência que norteiam a sociedade mandam que, esta semana, eu esqueça os problemas de Araucária. Finja que a Educação neste Município não é uma lástima, pois não prepara nossas crianças para o mercado de trabalho e para o seu crescimento social e cultural. Muito pelo contrário, prepara nossos jovens para serem os futuros beneficiários do Bolsa Família, ou, num cenário um pouco melhor, para possibilitar que eles alcancem a nota de corte que permita a eles pleitearem uma bolsa de estudos do PROUNI ao invés de capacitá-los para passar numa Federal da vida.

A hipocrisia social também manda que eu esqueça que não conseguimos cumprir o que determina o Estatuto da Criança e do Adolescente, já que temos uma fila gigantesca de pequenos fora das creches municipais. Do mesmo modo, preciso me controlar para não dizer que a saúde em Araucária, embora muito melhor do que aquela oferecida na grande maioria dos municípios brasileiros, está aquém do que nossa fortuna orçamentária poderia propiciar. Preciso tomar cuidado para evitar tocar no assunto de que a política habitacional desta cidade só não é um lixo porque, para sê-lo, ela precisaria – antes – existir e que isso é culpa da incapacidade administrativa dos que geriram esse setor ao longo das últimas décadas.

Não vou dizer também que a classe política araucariense é um desalento e que passa grande parte de seu dia alimentando politicagens e pensando em interesses pessoais ao invés de trabalhar em prol da coletividade. Também não serei eu, pelo menos esta semana, aquele que apontará o dedo para gritar contra a falta de segurança pública em Araucária, que faz com que não nos surpreendamos mais quando a casa do vizinho é arrombada, ou quando vemos nossas crianças consumindo drogas pelas esquinas, ou ainda ao ver aquele corpo todo ensanguentado, inerte, já sem vida, cravado de balas por aí.

Recuso-me a dizer, pelo menos por estes dias, que o comércio de Araucária é subdesenvolvido, pois não consegue convencer os moradores daqui, seja com atendimento ou com preços, a não fugir para Curitiba para gastar seu suado dinheirinho. Não vou reclamar, não hoje, que faltam opções de lazer para as famílias araucarienses, que têm que se mandar para as cidades vizinhas nos finais de semana em busca de diversão.

Hoje, a única coisa que quero é ressaltar o quanto Araucária é linda, é progressiva, é pujante economicamente. Parabenizar os colonos por terem construído isto aqui, seja lá o que for isto aqui. Enfim, o que quero é parabenizar este Município pelos seus 124 anos. Feliz aniversário!

Comentários são bem vindos. Até semana que vem

VEJA TAMBÉM

Caminho certo

É fato que a língua do povo sempre foi afiada e impiedosa. Os juízes da vida dos outros de plantão se adiantam em ser investigadores,

Compartilhe