Polícia Civil de Araucária prende jovem que por vingança tentou matar empresário por três vezes

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Policiais da Delegacia de Araucária prenderam na tarde desta quarta-feira (05/10) um jovem que tentou matar um empresário por três vezes, após o mesmo ter sido absolvido do esquartejamento de sua avó. O crime bárbaro aconteceu em 2015, quando a avó do jovem, Maria Aparecida Vechia, foi esquartejada e teve seu corpo queimado. O empresário Alisson Campolim dos Santos foi preso, suspeito de ter praticado o crime com ajuda de outra pessoa. Posteriormente, o empresário foi inocentado.


Após isso, o neto de Maria jurou Alisson de morte e, em uma noite na Rodovia do Xisto, disparou diversas vezes contra o veículo do empresário, atingindo-o no braço e ombro. Alisson foi socorrido a tempo e não morreu. Na segunda tentativa, o jovem foi até a casa do empresário em Contenda e disparou diversas vezes contra o mesmo, deixando-o paraplégico.


Na terceira, quando o empresário saia de sua empresa, o jovem apareceu de surpresa e disparou contra o rosto de Alisson, arrancando seu olho direito. Alisson foi socorrido e sobreviveu, mas reconheceu o suspeito, junto com uma testemunha, como sendo o autor dos crimes.


Diante disso, o delegado Tiago Wladyka, responsável por duas das três investigações, representou pela prisão preventiva do jovem, e nesta quarta-feira, junto com sua equipe, conseguiu prendê-lo.
Segundo Wladyka, o jovem chegou na residência a pedido de sua mãe e foi surpreendido com o mandado de prisão. Sem oferecer qualquer resistência, acompanhou os policiais até a DP Araucária, onde deverá ser ouvido e ficará à disposição da justiça.

Relembre o crime


Maria Aparecida Vechia, que tinha 55 anos na época dos fatos, morava na rua Alagoas, no jardim Fonte Nova, bairro Iguaçu. Ela foi brutalmente assassinada e seu corpo foi deixado sobre uma cama, parcialmente esquartejado, degolado e queimado.


Quando o Corpo de Bombeiros chegou no local, sentiu forte cheiro de gás de cozinha vindo da casa de Maria Aparecida. Ao entrar na casa, perceberam que a mangueira do gás estava cortada e o colchão da cama ainda tinha algumas brasas acesas. Na ocasião, a polícia suspeitou que o assassino pretendia esquartejar a mulher, mas talvez por falta de tempo ou por não ter habilidade necessária, desistiu e decidiu atear fogo no corpo, na tentativa de não deixar vestígios da autoria.

Polícia Civil de Araucária prende jovem que por vingança tentou matar empresário por três vezes
Polícia Civil de Araucária prende jovem que por vingança tentou matar empresário por três vezes 1
Compartilhar
PUBLICIDADE