Araucária apresenta estrutura de atendimento especializado durante Semana do Autismo

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Em 2 de abril foi celebrado o Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo, estabelecido em 2007 pela ONU. A iniciativa tem por objetivo difundir informações sobre o transtorno do espectro autista (TEA) e assim reduzir a discriminação e o preconceito que cercam as pessoas afetadas pelo transtorno. Em Araucária, o Departamento de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação (SMED) não concentra suas ações apenas na semana do autismo – este ano celebrada nos dias 5 e 6 de abril, mas realiza um trabalho junto à rede municipal de ensino durante o ano todo.

“Trabalhamos com formação continuada, com mediação in loco, estudos de casos, ações intersetoriais com outras secretarias e outros profissionais envolvidos, é um trabalho contínuo e permanente”, diz a diretora do departamento, Jessica Novoa.

Segundo ela, em referência a Lei Municipal 2820/2015, o departamento realizou uma ação em conjunto com todos os Centros Municipais de Atendimento Educacional Especializado, que são o CMAEE’s, e a APAE. “Em parceira com outras secretarias, montamos uma barraca de acomodação sensorial na Feira do Peixe, para atender as pessoas com Transtorno de Espectro Autista que estão visitando o evento. Entregamos flyers com informações sobre cada atendimento especializado que o Município disponibiliza e atendemos o público, levando explicações sobre o que é o autismo, o que é a rede de apoio e inclusão e todos os demais atendimentos oferecidos pelo município” explica Jessica.

A diretora ainda complementa que o Município mantém o CMAEE TGD (Transtorno Global do Desenvolvimento), onde são atendidos os autistas de nível 2 e 3, além do atendimento em outros CMAEE’s para alguns estudantes, diante de cada especificidade. “Temos atendimentos nas áreas visual e de surdez, porque muitos autistas possuem outras comorbidades associadas ao autismo, por exemplo, temos autistas com baixa visão, autistas com problemas de audição. Então eles não são atendidos somente no Centro Educacional Especializado, mas em outros centros e salas de recursos multifuncionais também, de acordo com a necessidade específica”, explica Jessica.

Foto: Marco Charneski.

Edição n. 1357

Compartilhar
PUBLICIDADE