Pesquisar
Close this search box.

Aumento de casos de câncer de intestino entre famosos acende alerta sobre a doença

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O câncer de intestino ganhou bastante notoriedade na mídia após muitos famosos terem anunciado que estão com a doença. O caso mais recente foi do apresentador Emilio Surita, de 61 anos, além dos casos recentes das cantoras Simony e Preta Gil, e dos jogadores Pelé e Roberto Dinamite, que morreram em função da doença. Para o oncologista Brenno Giovanni Hernando Vidotti, da Clínica São Vicente, o maior número de diagnósticos pode estar relacionado à maior conscientização das pessoas sobre a doença e a procura por atendimento mais precoce.

“É fato que o aumento na incidência de casos também está relacionado aos hábitos de vida das pessoas, à obesidade, abuso na ingestão alcoólica, excesso de alimentação processada, tabagismo, sedentarismo, todos são fatores de risco para neoplasia de intestino”, explica o especialista.

Entre os principais sintomas que podem indicar a presença da doença e requerem uma avaliação mais detalhada o médico cita o sangramento retal, anemia, mudanças no hábito intestinal, dor abdominal e constipação. Ele diz ainda que existem tipos diferentes de câncer de intestino e isso depende da sua localização: se intestino fino ou grosso. “Se a doença está no início do intestino ou mais próximo do reto, isso diferencia no diagnóstico, nos sintomas mais frequentes, no tipo de câncer e no tratamento”, elucida o médico.

Segundo o oncologista, o câncer de intestino se manifesta com maior frequência em pessoas acima dos 55 anos e a incidência é similar em homens e mulheres. Porém, a propensão de uma pessoa ter a doença depende de diversos fatores: genéticos, exposição a substâncias químicas, doenças prévias individuais e hábitos de vida, com certeza esses são fatores importantes na carcinogenese. Apesar da idade, das doenças inflamatórias intestinais e do histórico familiar serem os fatores de risco mais importantes, a obesidade, o tabagismo, o consumo de álcool e de carne vermelha ou processada e o sedentarismo, como já dito anteriormente, aumentam a probabilidade de uma pessoa desenvolver a doença”, exemplifica.

Prevenção

Ainda que o quadro do câncer de intestino seja assustador, há maneiras de se prevenir a doença, como manter uma alimentação saudável que inclua o consumo de vegetais, frutas e grãos integrais e pouca carne vermelha ou processada (bacon, presunto, salame, salsicha, entre outras); não fumar (há várias substâncias químicas no cigarro que sabidamente aumentam o risco para a doença); fazer atividade física regular; reduzir o consumo de álcool; evitar o excesso de peso; realizar exames de colonoscopia a partir dos 45 ou 50 anos (se a pessoa tiver histórico familiar, síndrome de Lynch ou qualquer doença intestinal inflamatória, os exames de rastreamento devem começar antes dessa idade, conforme orientação médica).

“Quando diagnosticado precocemente, o tratamento tem alta taxa de resposta e com certeza o paciente é passível de cura. O tratamento varia conforme a localização e tipo do tumor e pode envolver cirurgia, quimioterapia e até a radioterapia. Então fique atento, em caso de sintomas decorrentes como dor abdominal, sangramento nas fezes, anemia crônica, é necessária uma investigação e acompanhamento por um médico assistente”, orienta Dr Brenno.

Serviço

Para agendar uma consulta com o oncologista Brenno Giovanni Hernando Vidotti ou demais especialistas da Clínica São Vicente, entre em contato pelo telefone: (41) 3552-4000 ou WhatsApp: (41) 98780-1440. A clínica está localizada na Rua São Vicente de Paulo, nº 250, no Centro de Araucária.

Edição n. 1365