Calor excessivo requer cuidados redobrados com a saúde

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Estamos enfrentando altas temperaturas, fazendo com que os dias sejam extremamente quentes nas últimas semanas.

Apesar de ser uma época propícia para a prática esportiva e o lazer ao ar livre, alguns cuidados precisam ser tomados para que estas atividades não se tornem perigosas à nossa saúde. Para orientar as pessoas sobre como conviver com o calor e evitar problemas de saúde, o diretor técnico do IMA, Dr Janiro Zattoni Barbosa, sugere alguns cuidados importantes.

“Nessa época do ano devemos manter uma alimentação saudável, evitando alimentos gordurosos, com molhos calóricos e comidas requentadas. O consumo de líquidos, preferencialmente água, deve ser aumentado, enquanto o consumo de bebidas alcoólicas excessivas deve ser evitado”, sugere o médico. Ele ressalta a importância da higiene, recomendando lavar bem as mãos antes de manusear alimentos e priorizando os alimentos frescos. Alimentos expostos ao meio ambiente, especialmente aqueles com óleos, molhos e cremes, podem se tornar propícios para o crescimento de bactérias. Manter os alimentos cobertos é crucial para evitar contaminações.

Outra sugestão é sempre optar por refeições leves, ricas em frutas frescas e saladas, em ambientes frescos e arejados, isso contribui para uma alimentação saudável e refrescante durante o verão.

Pets também sentem calor

Assim como os humanos, os animais também podem sofrer as consequências do calor excessivo. O veterinário Luciano Buch, sócio proprietário da Clínica Veterinária Araucária – CVA, recomenda que nessa época de verão os tutores mantenham seus animais sempre hidratados. “Certifique-se de oferecer água fresca e trocá-la regularmente, principalmente nos momentos mais quentes do dia. Evite passeios nos períodos mais quentes, optando por levar seu animal para fora de casa nas primeiras horas da manhã ou no final da tarde, quando o sol está mais ameno. O asfalto e o chão quente podem causar queimaduras nas patinhas, sendo crucial evitar exposições diretas ao calor”, aconselha.

Segundo ele, animais de raças braquicefálicas (focinhos curtos), a exemplo do buldogue francês, shih tzu, pug, entre outros, requerem cuidados especiais devido à sua dificuldade em regular a temperatura corporal. “Para essas raças é aconselhável evitar passeios em horários quentes e ambientes externos, pois isso pode levar seu pet a ter problemas respiratórios graves”, diz.

Banho e tosa

Para evitar desconforto e possíveis problemas de saúde, especialmente em dias quentes, o veterinário sugere que os banhos dos animais sejam dados durante os primeiros horários da manhã ou no final do dia. E alerta sobre o estresse adicional que o calor pode causar, podendo levar a condições como edema de glote.

Embora a tosa seja bem-vinda para aliviar o calor, o veterinário enfatiza a importância de não raspar completamente o pelo do animal. “Deixar uma pequena camada de pelo durante a tosa higiênica é recomendado, pois o pelo serve como proteção contra problemas de pele relacionados ao calor. E ao realizar a higiene nos pets, especialmente em cachorrinhos mais idosos das raças braquicefálicas, evite fazê-lo nos horários mais quentes do dia. Escolha os primeiros horários da manhã ou dias mais tranquilos para garantir que não fiquem expostos ao calor por muito tempo”, afirma.

Nina Santos

Edição n.º 1392

Compartilhar
PUBLICIDADE