Pesquisar
Close this search box.

Comerciantes são vítimas de golpe da transferência bancária

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email
Comerciantes são vítimas de golpe da transferência bancária
Foto: divulgação

Comerciantes de Araucária estão sendo vítimas de um golpe que vem sendo aplicado na praça desde o ano passado: o da falsa transferência bancária. Segundo os boletins de ocorrência registrados pelas vítimas na Delegacia de Araucária, a golpista é uma moça, que se identifica como Jhuli Geovana Gomes Kiil Pereira. Na segunda-feira, 8 de março, ela foi pega em flagrante, tentando aplicar o golpe em uma farmácia, mas teve fiança arbitrada e pagou. As vítimas dos golpes relataram que ela está sempre mudando o visual, para não ser reconhecida. Entre os comércios que a golpista já lesou estão materiais de construção, farmácias, lojas de roupas, lojas de presentes, panificadoras, mercearias, revendedoras de veículos.

Um dos comerciantes lesados contou que a falsa cliente escolheu uma lista de produtos, e disse que iria pagar com o QR Code. Já no caixa, na hora de fazer o pagamento, alegou que deu erro na leitura. “Então pediu os dados da empresa, alegando que faria um PIX (pagamento instantâneo) ou uma transferência. Depois mostrou um extrato bancário, comprovando que o dinheiro tinha saído da conta dela e que em alguns minutos estaria na conta da empresa. Nesse momento, ela usou de toda sua lábia e nos convenceu a liberar a mercadoria antes mesmo de o dinheiro cair na conta. Para apressar o carregamento da mercadoria, temendo ser descoberta, disse ainda que o marido estaria no carro com a filha bebê de apenas 4 meses e já estaria sem paciência para esperá-la por mais tempo. A golpista ainda continuou respondendo mensagens, reafirmando que a transferência deu certo e que logo o dinheiro iria cair na nossa conta. E foi assim que caímos no golpe e levamos um prejuízo de mais de R$ 1.400,00”, relata a empresária.

Outra comerciante que foi lesada, disse que está revoltada porque a estelionatária vem aplicando esse golpe desde o ano passado, fazendo vítimas na mesma cidade, além disso, já teria vários processos contra ela, mas ainda continua solta. “Alguém precisa deter essa mulher. Ela já mudou várias cores de cabelo, entre loiro, ruivo, preto, mas o rosto dela é conhecido, não é possível que ainda esteja livre pelas ruas, aplicando mais golpes”, lamentou a comerciante.

A advogada de um terceiro comerciante que foi vítima de Jhuli comentou que seu cliente levou um prejuízo enorme, a partir de golpes que a moça aplicou em outras pessoas. “A golpista comprou dois veículos, de duas pessoas diferentes, e usando o mesmo modus operandi, disse que iria fazer uma transferência (TED), apresentou os comprovantes. Não sei de que forma ela enrolou os donos, que acabaram assinando os recebidos de transferência dos carros para o nome dela. É aí que entra o meu cliente, que tem uma revendedora de veículos. Ela ofereceu os carros e ele, de boa-fé, viu que os documentos aparentemente estavam todos corretos, comprou e efetuou o pagamento. Enquanto a Juhli ainda enrolava os primeiros donos, dizendo que tinha havido um problema no banco, mas que logo estaria tudo resolvido com a transferência, meu cliente vendeu os carros para clientes da sua loja. Só então que uma das vítimas que vendeu o carro para a moça, ao perceber que tinha caído em um golpe, registrou um boletim de ocorrência. O terceiro dono desse veículo, no caso o cliente do meu cliente, foi parado pela polícia, o carro foi apreendido porque estava com alerta e levado para o pátio da Delegacia de Estelionatos. Entramos com pedido de reintegração de posse do mesmo. Quanto ao outro veículo, meu cliente ressarciu o dono, e acabou levando um prejuízo enorme. Ele também foi uma vítima”, explicou a advogada.