De cabeleireiros a escultores, araucarienses fazem sucesso com sua arte

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Moisés e Adriana ainda trabalham como cabeleireiros em domicílio, mas o que eles querem mesmo, é viver das esculturas

Durante a pandemia, o araucariense Moisés Rodrigues Ribas precisou se reinventar para conseguir sobreviver em meio à crise que se instalou em todo o país.  E não é que de cabelereiro, ele acabou se transformando em um escultor? Isso mesmo! Usando o mesmo talento manual que tinha com a tesoura e a escova, Moisés agora mostra toda sua sensibilidade nas peças que esculpe.  

Faz pouco mais de um ano que o cabeleireiro decidiu ser artista, mas as esculturas que já fez até agora, impressionam pelo realismo e pela perfeição nos detalhes. Em sua casa, na área rural do Tietê, que serve de estúdio para as obras, Moisés já esculpiu artistas e cantores famosos como Marcos Mion e Anitta, dinossauros e outros animais, personagens infantis, budas e tantas outras. Entre as obras mais recentes está o busto do prefeito de Araucária Hissam Hussein Dehaini e ainda a escultura de corpo inteiro do político, em fase de produção. Para concluir a escultura do busto, ele conta que levou cerca de dois meses, já a escultura de corpo inteiro, o artista acredita que leve em torno de um mês.

“Fizemos o busto e a estátua do prefeito como reconhecimento por tudo que ele está fazendo por Araucária, mas a ideia é também usar nossas esculturas para um trabalho social, ou seja, fazer uma ou duas estátuas de celebridades e pessoas famosas por ano e na hora de entregar a homenagem, pedir uma doação, que será revertida para uma instituição social que o próprio homenageado poderá indicar”, comenta Moisés.

De hobby a ganha pão

A atividade, que segundo ele começou como um hobby, se tornou profissão. Mas ele não está sozinho nessa, a esposa Adriana Furtado Pereira, também cabeleireira, decidiu seguir o exemplo do marido e virou escultora. “Fui metalúrgico por 15 anos, então casei com uma mulher cabeleireira e há 7 anos virei um cabeleireiro. Há cerca de um ano, por causa da pandemia, fechamos o salão e decidimos brincar de escultura em casa. Eu vi uma escultura no Beto Carreiro e decidi que iria fazer um bicho igual. Mas eu não tinha noção nenhuma, então fui pesquisando, estudando a respeito, vendo vídeos no youtube, aprendendo, errando, acertando, e as primeiras esculturas foram saindo. No começo dava bastante trabalho, a gente buscava a perfeição, mas depois vimos que muito mais do que serem perfeitas, nossas esculturas precisavam transmitir realismo”, relata o artista.

Para produzir as esculturas, o casal utiliza vergalhões de construção civil e concreto, materiais difíceis de serem trabalhados, porém com a experiência e a habilidade que foram adquirindo, as esculturas foram ficando cada vez mais perfeitas.

Apesar de ainda trabalharem como cabeleireiros, atendendo em domicílio, Moisés e Adriana querem se tornar escultores profissionais e viverem exclusivamente da sua arte. “Eu e minha esposa estamos juntos há 8 anos, 24 horas por dia, nos revezando entre os cabelos e as esculturas, ainda não conseguimos viver só da arte, por ora vendemos nossas peças para amigos e conhecidos, mas queremos ganhar o Brasil”, brinca o escultor.

Serviço

Se você ficou curioso para conhecer as peças produzidas pelos escultores Moisés e Adriana, siga o Instagram @moesculturapersonalizada ou entre em contato pelo fone (41)  99696-9292.

Compartilhar
PUBLICIDADE