Pesquisar
Close this search box.

Do fogo ao led

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Primeiro o homem dominou o fogo para prolongar os dias e isto se deu na época da pedra lascada, coisa de 7 mil anos atrás. Hoje não é exagero dizer que o LED tornou dia nossas noites em Araucária. Neste governo iluminado a Luz virou marca registrada. A cidade toda resplandece luz. Nossa luminescência se destaca nas divisas com a Capital Sorriso, que nos faz lembrar nosso passado neon. Em boates a pouca luz tem seu charme, mas na cidade iluminação é antes de tudo segurança pública de qualidade, nada de bom é feito as escuras num município grandioso como Araucária. Para realçar o assunto, citamos o acesso noturno ao Distrito do Guajuvira pela PR 423, ligação Araucária/ Campo Largo, agora asfaltado e iluminado, que pode ser uma agradável experiência ao turista de ocasião que todo araucariense deveria se permitir nesses tempos de intensa claridade.

A Luz Emitida pelo Diodo, LED, é a forma mais inteligente que o homem inventou para separar a Luz do calor. Antes do LED o homem produzia calor e recebia a Luz de lambuja, isso vinha desde os tempos das cavernas. Com o domínio da eletricidade o Tomaz Edison inventou a lâmpada incandescente e fez fortuna com sua General Eletric mas a conta da luz ficava salgada pelo excesso de calor que esta tecnologia dispendia. O LED também conhecido por luz fria não irradia calor, pois o Diodo é um componente eletrônico feito de semicondutores que em tese não propagam calor. A Luz Emitida pelo Diodo é um achado tecnológico da moderna ciência e podemos afirmar sem ufanismo que a cidade de Araucária está anos luz a frente de quem ainda consome as caríssimas contas da iluminação publica das lâmpadas incandescentes. Trocar todas as lâmpadas de uma cidade não é tão inusitado como pensamos. Tomaz Edson não permitiu Tesla utilizar suas lâmpadas rosqueáveis e o mundo ganhou quando Nicolas Tesla foi desafiado.

Texto: EDILSON BUENO

Publicado na edição 1266 – 17/06/2021