Pesquisar
Close this search box.

Editorial: Não atrapalhar também é ajudar!

Imagem de destaque - Editorial: Não atrapalhar também é ajudar!
Foto: Divulgação
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Desde que a tragédia climática atingiu o Rio Grande do Sul e uniu o país numa onda de solidariedade, O Popular tem feito a sua parte no sentido de amplificar as iniciativas de araucarienses para arrecadar donativos a população gaúcha.

Mais do que isso. Tem buscado trazer aos seus leitores relatos de moradores de nossa cidade que estão ou foram ao Rio Grande do Sul como voluntários nesse momento tão difícil para aquela comunidade.

A proximidade geográfica que há entre Araucária e municípios gaúchos faz com que, invariavelmente, tenhamos pessoas que residiam aqui há poucos meses e que agora estão morando por lá. Jornalisticamente isto nos possibilita uma outra abordagem: ouvir o relato dessas pessoas e o fato de muitas delas conhecerem moradores araucarienses nos conecta ainda mais com o tamanho do problema que eles estão vivendo.

Essa conexão, é preciso dizer, aumenta o sentimento de pertencimento que temos com o problema. E, quando entendemos que esse problema de alguma forma também é nosso, passamos a atuar mais firmemente para dentro de nossas possibilidades colaborar para sua resolução.

É o que temos visto em Araucária! Todos querem ajudar de alguma forma! Alguns se candidatam como voluntários. Outros promovem ações de doação. Outros vão lá e doam! Há quem coloque o estado gaúcho em suas orações. Há quem faça tudo isso!

Enfim, são todas ações lindas! Que mostram que a vida em sociedade foi a melhor escolha de nossa humanidade. Porém, como nem tudo são flores, ainda temos alguns casos de pessoas que gastam tempo e energia tumultuando esse processo, divulgando notícias inverídicas. Maximizando problemas isolados e/ou simplesmente desqualificando a ajuda alheia porque aquela pessoa não pertence ao mesmo grupo ideológico, político ou religioso do que o dele. E isto é um desserviço num momento de crise humanitária como o que o Rio Grande do Sul vive. Tomemos cuidado com isso e sigamos ajudando! Cada um dentro de suas possibilidades! E, se eventualmente você não encontrou formas de colaborar ativamente na resolução do problema saiba que não atrapalhar também é um jeito de ajudar! Pensemos todos nisso e boa leitura.