Pesquisar
Close this search box.

Inquérito que apura o caso do médico acusado de abusar de uma paciente ainda não foi concluído

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

A Delegacia da Mulher de Araucária ainda não concluiu as investigações em torno do caso envolvendo um médico da rede de saúde pública que teria abusado de uma paciente durante um atendimento no Centro de Especialidades Médicas (CEMO), no dia 7 de fevereiro. Segundo o delegado titular da DM, Eduardo Kruger, o inquérito é complexo, por envolver um grande número de testemunhas (mais de 10), por isso ainda está em andamento. “Várias provas foram solicitadas, ainda estamos aguardando alguns laudos e ouvindo testemunhas, mas acredito que nos próximos dias o inquérito possa ser concluído”, comentou.

Relembre o caso

Na terça-feira (07/02), uma equipe da Guarda Municipal de Araucária foi acionada no CEMO, pela suposta vítima, que relatou ter sofrido abuso sexual por parte do médico. Ela estava muito nervosa no momento em que conversou com a equipe e disse ser autista.

No dia dos fatos, a coordenadora da referida unidade onde o fato ocorreu, repassou os dados do médico que havia atendido a paciente, porém a GMA não conseguiu abordá-lo, já que ele havia saído do local. De posse das informações, uma equipe foi até a unidade onde o profissional estava atendendo naquele momento e o conduziu para a Delegacia para prestar esclarecimentos. Em depoimento, ele negou os fatos.

Enquanto aguarda a conclusão das investigações, o médico segue afastado das funções na unidade em que o crime teria ocorrida.

Edição nº.1353