Irmão Lauro: As velhas árvores…

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O tempo deixa mais belas as árvores!

Damo-nos conta? Assim é o olhar do poeta Olavo Bilac:“Olha estas velhas árvores, mais belas
do que as árvores moças, mais amigas, tanto mais belas quanto mais antigas”!

Olhemos as pessoas! É a mesma arte!
Quanto mais maduras tanto mais belas:
sabem se enfeitar, sabem ser vistas!

No seio da floresta de velhas árvores,
há mais que sons, mais que silêncios,
é como a doçura de se sentir em casa!

Abrigar-se à sombra de velhas árvores
ou acalmar-se à luz de pessoas sábias
é a mesma sensação sagrada de afeto!

Expressa Bilac:
“Envelheçamos rindo…
…como as árvores fortes envelhecem,
na glória da alegria e da bondade…!”

Edição n.º 1377

Compartilhar
PUBLICIDADE