Felippe Santiago Dahmer, um jovem autista de 17 anos, foi aprovado no vestibular de História na Universidade Federal do Paraná, após muita dedicação nos estudos. Ele sempre estudou em escolas públicas, concluiu o ensino médio em 2021, no Colégio Estadual Dias da Rocha, e foi o 6º colocado na lista dos aprovados. “Meu filho é um exemplo, ele fez atendimento no CMAEE -TGD entre 2011 e 2018, mas sempre foi um excelente aluno, dedicado aos estudos. Seu sonho era fazer esse curso, ele gosta muito de história, de política”, disse orgulhosa a mãe Lilian Vieira. Ela lembra que no próximo 2 de abril será comemorado o Dia Mundial da Conscientização do Autismo e a aprovação do filho no vestibular é muito mais do que uma simples conquista, deve servir de inspiração para muitas mães. “Acreditem nos seus filhos, porque eles podem tudo”, aconselhou.

Felippe também está radiante com a aprovação na UFPR. Ele conversou com nossa reportagem e explicou, com muita propriedade e conhecimento, os motivos que o levaram a escolher este curso. “Gostaria de dar uma palavrinha aqui sobre o estudo da história em geral e o porquê é algo que me encanta tanto. Primeiro, porque eu tenho uma visão diferente sobre a história, sobre como são as coisas. Não é uma visão muito comum. Eu costumo dizer que as pessoas geralmente enxergam a história e a própria vida por uma perspectiva 2D. Só enxergam por um lado. Muitas pessoas dizem que enxergam de um lado diferente, mas estas também enxergam de uma perspectiva 2D. Por exemplo, você tem uma folha, de um lado vermelha e do outro lado azul. Então a pessoa acha que enxergou o outro lado, porém ela só virou a folha. Eu gosto de ter uma perspectiva em 3D da história, gosto simplesmente de olhar e dizer que a folha não é nem vermelha e nem azul, porque ela é as duas cores ao mesmo tempo. Enfim, eu gosto de ver todas as perspectivas e analisar com frieza cada coisa, entender que a pessoa que vê aquela folha com o azul tem as suas razões, e o mesmo ocorre com a pessoa que vê aquela folha como vermelha”, exemplifica.   

Gabaritou

Felippe praticamente se divertiu na prova do vestibular e gabaritou nas questões de história. Ele diz que isso se deve a muita pesquisa, sobre todos os assuntos históricos que se possa imaginar.

“Estudar história é algo prazeroso pra mim, é entender e botar o cérebro pra funcionar, que é justamente o que muitas pessoas não gostam. Muitos querem simplesmente uma resposta simples, que resolva todos os problemas da vida delas. Mas o mundo não é tão simples quanto parece, e o próprio Shakespeare já dizia que, entre o Céu e a Terra existem muito mais coisas do que a gente imagina”, diz o jovem.

Texto: Maurenn Bernardo

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

Compartilhe

Share on twitter
Share on facebook
Share on telegram
Share on whatsapp