Pesquisar
Close this search box.

Marista Lab: Festas Juninas – origem e curiosidades sobre a comemoração

Imagem de destaque - Marista Lab: Festas Juninas: origem e curiosidades sobre a comemoração
Foto: Divulgação
Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

As festas juninas são comemorações tradicionais, realizadas em todo o País e muito esperadas pelas crianças, seja pela dança, comidas típicas ou brincadeiras. Uma adaptação dos rituais pagãos, a celebração acontecia pela chegada do solstício de verão no hemisfério norte. No Brasil, devido à influência da religião católica, foi transformada em uma celebração aos santos São João, Santo Antônio e São Pedro.

Em Portugal, a celebração recebia o nome de festa joanina, em referência a São João. No Brasil, acontecia em junho, por isso recebeu o nome de festa junina. “Além de ser um momento de diversão, as comemorações também são uma oportunidade para aprender sobre as raízes culturais, históricas e geográficas das festividades”, explica a coordenadora do Ensino Fundamental e Médio do Colégio Marista Sagrado Coração de Jesus, Rosangela Dambroski dos Santos.

Confira outras curiosidades interessantes sobre as festas juninas:

Comemorações são diferentes em cada região

As diferentes regiões do Brasil comemoram o São João de diversas maneiras. No Nordeste, são realizadas grandes festas. O “arraiá” de Campo Grande, na Paraíba, por exemplo, é considerado a maior festa junina do país.

As celebrações no Norte encenam histórias folclóricas, como a lenda do Boto e a tradição do Boi-Bumbá. Além disso, existe uma dança típica chamada Carimbó, que mistura elementos das culturas indígena, africana e portuguesa.

Já no Centro-Oeste, há tradições como a lavagem dos santos homenageados nas festas e apresentações de Cururu, com danças e cantigas sobre eles. Na região Sudeste, as quermesses se destacam, e por fim, no Sul, ouve-se muito sertanejo e vanerão acompanhado de fogueiras e quentão.

Festividades são um apanhado de diferentes culturas

A festividade, que iniciou para marcar o início do verão na Europa, se tornou uma celebração dos santos católicos em agradecimento pela colheita. Depois, incorporou elementos como a quadrilha, que vem da dança francesa quadrille.

A festa incorporou aspectos da cultura indígena ao fundir-se com a festa tupi do milho, que ocorria em agosto e marcava o início do ano novo.

É daí que vieram a maioria dos quitutes juninos, como canjica, ou mungunzá; pamonha; pipoca; bolo de fubá e milho-verde. Até mesmo o quentão é uma influência de uma bebida guarani chamada cauim, feita de milho fermentado.

Outros países também têm comemorações semelhantes

Principalmente na Europa, muitos países mantêm as tradições juninas. Alguns exemplos são Portugal, Alemanha, Noruega, Dinamarca e Polônia. Entre os elementos em comum com as nossas festas, estão a quadrilha, as fogueiras e a homenagem a São João.

A origem das bandeirinhas

As bandeiras com imagens de São João, Santo Antônio e São Pedro eram espalhadas para decorar as festividades. Com o tempo, foram se transformando nas bandeirinhas pequenas e coloridas que se tornaram tão características do período junino.