Onde eu trabalho tem um cachorro (aliás, há vários cachorros lá. Se bem que onde eu trabalhava antes também havia muita cachorrada) chamado Negão. Quero lançá-lo candidato a vereador nas próximas eleições. Isto mesmo, vereador. Seria a minha manifestação de protesto diante do desempenho de alguns dos nossos edis na Câmara Municipal. Negão seria o nosso Macaco Tião. Aquele primata que vivia num zoológico do Rio de Janeiro e foi lançado candidato não oficial a Prefeitura da capital fluminense pelos humoristas do Casseta Planeta, em 1.988.
 
Negão é um vencedor. Chegou ao Centro de Controle de Zoonoses após ser atropelado no trânsito maluco da cidade e sua morte era dada como certa. Sua história é de superação. Por meses ele não caminhou, possivelmente teve a coluna fraturada no acidente. Mas Negão é um cão brasileiro e não desiste nunca. Aos poucos ele começou a se arrastar e dia desses foi visto galopando pelo CCZ. As patas dianteiras impulsionam as traseiras (que não funcionam) e Negão anda pra lá e para cá meio desajeitado.
 
O papel que alguns vereadores andam fazendo na Câmara, Negão também tem condições de fazer, mesmo com as seqüelas deixadas pelo atropelamento. Negão é obediente. Faz tudo o que mandam. No Legislativo também há esta relação de subverniência entre certos edis e a Prefeitura. Outra seqüela deixada pelo acidente sofrido pelo meu candidato foi a incontinência urinária e fecal. Ou seja, ele não consegue controlar a eliminação de suas fezes e urina, fazendo o serviço em qualquer lugar. Na Câmara, dizem, tem parlamentar que anda fazendo a mesma coisa, só que no sentido conotativo da expressão.
 
Negão é um candidato perfeito. Ele tem carisma. Todos no CCZ gostam dele. Respeitam sua história de vida e sabem que dificilmente alguém vai adotá-lo. Precisamos arrumar alguma coisa pra ele. Uma vaga na legislatura que está aí seria o ideal. Ele seria o representante de todos os animais abandonados nesta cidade. Brigaria por um trânsito mais organizado, onde cachorros não sejam atropelados diariamente. Combateria os maus tratos aos animais e coisas do gênero. E, o mais importante: com certeza, Negão faria menos cachorrada que muito político por aí. Então, que tal?

VEJA TAMBÉM

Compartilhe