Novo RG começará a ser emitido a partir de novembro em Araucária

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

No mês de março deste ano começou a ser emitida em todo o país a nova Carteira de Identidade Nacional (CIN), conforme o decreto nº 10.977/2022. No documento, o CPF irá substituir o RG como número de identidade. Em alguns estados brasileiros a CIN já vinha sendo emitida desde 2022, mas o que muda é que, agora, a emissão é obrigatória. A decisão tem como objetivo reduzir fraudes e burocracias.

Pra entender melhor o que muda, o número do CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) é gerado pela Receita Federal e vale em todo o Brasil. Já o RG (Registro Geral) é de responsabilidade da Secretaria de Segurança Pública de cada estado. Ou seja, uma mesma pessoa poderia ter mais de um registro em seu nome, com números diferentes. Utilizar o CPF como número único vai facilitar a identificação do cidadão.

A ideia é que, ao digitar esse número, outras entidades do governo visualizem de uma só vez todas as informações de uma pessoa – como a CNH, o título de eleitor, a situação eleitoral e a carteira de trabalho, por exemplo.

Unificação

A mudança é de responsabilidade dos próprios órgãos públicos e deverá ocorrer até fevereiro de 2032. À medida que seus documentos vencerem e você precisar renová-los, o CPF será incluído. Documentos que já existem e não precisam ser renovados – como é o caso do título de eleitor – a numeração não será alterada. No entanto, quem for tirar o título de eleitor pela primeira vez, receberá o documento com o CPF como número de identificação.

Em Araucária, segundo o Posto de Instituto de Identificação local, as mudanças com relação à nova Carteira de Identidade Nacional ainda não estão ocorrendo por conta da necessidade de atualização do atual sistema. Segundo o órgão, o processo foi adiado e possivelmente terá início em novembro, porém as pessoas que já deram entrada nas suas identidades, quando vier a nova do governo, não será obrigatório fazer isso porque o documento atual será válido por 10 anos.

“Atualmente o sistema de numeração do RG é diferente para cada estado, por exemplo, se a pessoa é do Paraná, não pode solicitar uma segunda via da carteira de identidade em São Paulo, pois se fizer isso, o RG virá com uma nova numeração. Com o novo sistema, todo processo será unificado, possibilitando que as pessoas façam a segunda via em qualquer lugar do país, obtendo a mesma numeração sempre, que será pelo CPF”, explica o Instituto.

Edição n. 1359

Compartilhar
PUBLICIDADE