O Rio Iguaçu inicialmente adentra o município apenas pela margem esquerda na Zona Rural após a foz do Rio Maurício, limite da Fazenda Rio Grande, e na outra margem, Curitiba ainda avança 650 metros até que o Iguaçu recebe o Rio Barigui na margem direita, cujas águas foram tratadas na ETE – CIC/XISTO.
Dentro de Araucária o rio percorre várzeas do perímetro urbano à direita e cavas e areais da zona rural do município, à esquerda, sendo seu leito levemente sinuoso. Após a Foz do Barigui, percorrido 4,3 km, na região do São Francisco, um riacho poluído lança suas águas no leito do Iguaçu. Aproximadamente 3 km depois, o Iguaçu, recebe águas da bacia do Rio Chimbituva, após estas serem tratadas pela ETA INDUSTRIAL ARAUCÁRIA.
A partir deste ponto percorre aproximadamente 1,0 km em linha reta até o Parque das Pontes, aonde curva à direita e 400 m adiante, ao lado das pontes da rodovia do Xisto desagua o córrego São Patrício.
Percorrendo este cenário com leito praticamente reto por 2,76 km, o Iguaçu, receberá as poluídas aguas do Rio Passaúna, que entre sua Barragem e o desague sofreu contaminações das ocupações irregulares contidas as suas margens.
O Iguaçu fica extremamente sinuoso a partir deste ponto e segue serpenteando várzeas, cavas e areais por quase 29 km até a Foz do Rio Verde, banhando as localidades do Guajuvira e General Lúcio na divisa com Balsa Nova.
O prefeito Hissan pretende melhorar o aspecto do Rio Iguaçu dentro do município de Araucária, e para isso pediu ao Vitor do Meio Ambiente que a SMMA estude o assunto e barreiras ecológicas poderão ser Instaladas no seu leito, e para isso já foram contatados proprietários de dragas e licenças de areais da região e o expert Diego Saldanha, pioneiro na instalação da Eco Barreira do Rio Atuba, e referência sobre o assunto.

Publicado na edição 1312 – 19/05/2022

VEJA TAMBÉM

Compartilhe