Quem acompanha o noticiário brasileiro, está inteirado da situação caótica do sistema prisional do estado do Maranhão. Lá, as atrocidades cometidas no Presídio de Pedrinhas ganharam o mundo e até uma intervenção federal não está descartada.

Interessante, no caso de Pedrinhas, é que aquele presídio abriga 2.196 presos num espaço com capacidade para 1.700. Ou seja, 23% a mais do que o ideal. É um absurdo? Sim, é um absurdo! Mas, por incrível que pareça, a superlotação lá era infinitamente menor do que a da Delegacia de Araucária, que já chegou a abrigar 106 presos numa carceragem projetada inicialmente para comportar 16.

Na última semana, a carceragem da DP local contabilizava quase setenta encarcerados. A maioria deles ainda aguardando o desfecho dos processos que apuram os crimes que eles são acusados de cometer. Amontoados naquelas celas, os presos planejavam uma fuga em massa, que só não foi levada a cabo pela perspicácia dos agentes e policiais que trabalham na Delegacia. Eles notaram que os presos estavam quietos demais e decidiram vistoriar os fundos das celas. Não deu outra. Lá estava o alvará de soltura da bandidada sendo confeccionado: um túnel de alguns metros de profundidade que os levaria para fora daquele inferno.

Diante da magnitude do buraco que estava sendo cavado, boa parte da carceragem teve que ser interditada e a Secretaria de Justiça, responsável pelo Departamento Penitenciário do Estado, teve que se virar nos trinta para transferir boa parte dos presos que ali estavam. No final das contas, cinquenta deles foram levados a unidades prisionais da capital e região.

A transferência em massa acabou fazendo com que a carceragem da DP local ficasse com apenas 21 presos na semana passada, com os novos hospedes que chegaram no final de semana, esse número subiu para 29 nesta segunda-feira, 13 de janeiro. O número, vejam bem, já é praticamente o dobro do que seria o ideal e percentualmente já estamos com mais presos do que Pedrinhas, no Maranhão. Só por isso, é inaceitável que o Governo do Estado cogite a hipótese de – tão logo a ala interditada da carceragem esteja liberada – devolver os cinquenta presos que foram levados na semana passada. Até porque, eles já foram tarde! Pensemos nisso e boa leitura.
 

CONTEÚDO RECOMENDADO

VEJA TAMBÉM

A ética dos propagadores de fake news

O título desta crônica é provocativo, pois vivemos num tempo onde cada um é induzido a acreditar na sua fake news de preferência através da

Casa Bem Acabada

Iéste negócio da gente se meter a rabequista das véis dando o maior dos problema!! Sobrinha Roseli se achegando com cara cheia de felicidade contanto

Compartilhe