Sobe para 21 os candidatos “made in Araucária” nestas eleições

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

São 12 candidatos a deputado estadual, 7 a federal, 1 a vice-governador e outra a senadora

Desde terça-feira, 16 de agosto, os candidatos que solicitaram seu registro de candidatura à Justiça Eleitoral já podem fazer publicamente seus pedidos de voto aos eleitores. No Paraná, são mais de 1.500 postulantes a um dos cinco cargos em disputa. Deste total, 21 são de Araucária. O número cresceu desde a semana passada, quando levantamento feito pelo O Popular apontava que eram 15 os interessados.

Dos vinte nomes com o selo “made in Araucária”, doze tentam uma vaga na Assembleia Legislativa. Seis brigam por uma cadeira na Câmara Federal, um busca ser vice-governador do Paraná e uma quer ser senadora da República.

De acordo com levantamento feito pelo O Popular, dos candidatos locais, treze possuem ensino superior completo; dois até iniciaram a graduação, mas ainda não concluíram; dois têm ensino médio completo; um possui ensino médio incompleto; e três têm ensino fundamental completo,

Quinze dos araucarienses na corrida eleitoral se declarou de cor branca, outros cinco disseram se identificar como pardos e uma como preta. A grande maioria dos candidatos é do sexo masculino. São dezoito homens e apenas três mulheres. Dos candidatos locais, três são milionários: Eliceu Palmonari (PROS), Olizandro Junior (PSB) e Osni Minotto (PMN). Há ainda três postulantes que disseram não ter nada de bens materiais em seus nomes. São eles: Gilmar da Portelinha (PSD), Sandra Lopes (Solidariedade) e Cessar Arruda (Patriotas).

No quadro que O Popular publica esta edição também é possível saber qual a ocupação dos candidatos locais e qual foi a previsão de gastos que estimaram para a campanha. Este campo, porém, não deve ser levado muito a sério, já que os partidos têm declarado sempre o teto de despesas permitido pela Justiça Eleitoral para cada um dos cargos em disputa. Nosso levantamento mostra ainda por qual partido cada um desses “nativos” estão concorrendo e o número que o eleitor terá que digitar na urna para escolhê-los.

Com a campanha liberada, todos os candidatos poderão fazer campanha até o próximo dia 1º de outubro, véspera das eleições. O pedido de votos é permitido por meio de carros de som, comícios, distribuição de material gráfico, bandeiras, anúncios em jornais, entre outros.

Texto: Waldiclei Barboza

Compartilhar
PUBLICIDADE