Pesquisar
Close this search box.

Tarde de Mulheres reúne mais de 50 participantes e leva muita informação sobre temas importantes

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

Cerca de 50 mulheres participaram na terça-feira (31/10) de um evento que teve como temas o combate e prevenção ao câncer de mama e a violência doméstica, promovido pela Faculdade FANEESP, em parceria com a associação de moradores dos jardins Califórnia e Los Angeles. As participantes acompanharam palestras sobre os temas e ainda receberam orientações jurídicas dos alunos do Núcleo de Prática Jurídica da Faculdade, e no encerramento todos se confraternizaram durante um delicioso café da tarde.

A FANEESP mantém uma parceria com a associação de moradores desde o ano passado, quando decidiu sair da estrutura da Faculdade, para auxiliar a comunidade no seu entorno. A Tarde das Mulheres surgiu após muitas rodas de conversa, e o tema da conscientização sobre violência doméstica foi um dos assuntos principais a serem debatidos.  

“Definimos um formato de encontro para poder levar informações relevantes de conscientização, com mini palestras sobre o tema da violência, prevenção ao câncer de mama e empreendedorismo, numa tarde festiva com lanche e sorteio de brindes. Em novembro do ano passado organizamos a 1ª Tarde das Mulheres e a segunda edição aconteceu neste dia 31/10, e contou com a participação da ONG EVA, da UBS do Jardim Califórnia, do CRAM e da Patrulha Maria da Penha. As duas ocasiões trouxeram muito aprendizado para todos, tanto para as mulheres presentes quanto para os alunos da FANEESP”, comentou Viviane Duarte Couto de Cristo, Coordenadora do Curso de Direito e do NPJ da FANEESP.

A ONG EVA fez a abertura do evento e em seguida o voluntário Roberto Cardoso, que recentemente perdeu a esposa Michele para o câncer de mama, fez uso da palavra para relembrar a força da esposa, que desde que descobriu a doença, sempre fez questão de dar seu testemunho para ajudar outras mulheres. “Continuar o trabalho da Chelly pra mim é mais que um dever, é um legado que não pode ser esquecido. Até nas horas que minha esposa estava na cama, sofrendo de dor, auxiliava outras pacientes via mensagens e apoio, ela foi um exemplo de força e fé. Vamos seguir os ensinamentos que ela nos deixou, de nunca desistir e transformar a nossa dor em exemplo de superação”, disse Roberto.

Edição n.º 1387