Terezinha Poly: A Casa do Cavalo Baio e a Rua Dr. Victor do Amaral

Facebook
LinkedIn
WhatsApp
Telegram
Email

O tempo aqui era a década de 60, e esse já foi o aspecto da Rua Dr. Victor do Amaral em um dos pontos mais conhecidos em Araucária, a Casa do Cavalo Baio. A construção deste casarão data do início do século XX, e teve como responsável pela sua construção o engenheiro inglês Walter Joslin sob a encomenda da Família Suckow, durante o tempo que ela está neste lugar, já teve outras funções além de ser moradia.

Aqui já armazém, hospedaria, e, mesmo nos seus últimos tempos foi Escritório de Advocacia da proprietária Maria Luiza Cyntra Ferreira Charvet. Mas, aqui nesta imagem era a residência da Família Charvet. Adquirida na década de 30, a casa levou esse nome porque no local havia um belo cavalo baio que chamava atenção de todos que passavam, porque na lateral da casa havia um vasto campo onde um cavalo chamado Rex corria livre.

A Rua Dr. Victor do Amaral, era e ainda é a principal via da cidade. Longa, percorre desde o Seminário até a Praça Dr. Vicente Machado, seu aspecto de estrada de chão, era tão comum como todas as outras ruas da cidade, somente no final da década de 60, quando ainda era Prefeito Municipal o saudoso Aleixo Grebos, que após levar muito tempo implorando por uma audiência com o Governador e com apoio de Deputados que representavam Araucária, enfim conseguiu a tão esperada reunião com o Chefe do Estado e pudemos ver a transformação da Rua Dr. Victor do Amaral ao receber o primeiro revestimento de paralelepípedos, calçamento, manilhamento das valetas que até então recebiam esgoto a céu aberto.
Mas, ainda aqui podemos ver como eram as ruas no passado, a parte em frente a Casa do Cavalo Baio está mais seca e logo a seguir a rua está esburacada e com uma formação de lama, ou seja, um cenário comum na antiga Rua Dr. Victor do Amaral que só ficava mais bonita quando a Patrola do saudoso Lauro Furlan passava, alisando a rua, hoje podemos lembrar e rever aqueles tempos somente por fotos.

Mesmo com as dificuldades da época, não dá pra evitar um saudosismo quando olhamos essa imagem, do outro lado da rua (apesar de não aparecer nesta foto), havia a Vila Operária da antiga e desativada Fábrica de Tecidos de Linho São Patrício, ao longo deste trecho que atualmente está repleto de estabelecimentos comerciais, eram residências familiares, havia também alguns estabelecimentos comerciais que deixaram saudades como o Armazém do Rigon, a entrada da antiga Rádio Cambiju, a Oficina Mecânica do Sr. Vergilio Alves Pinto, e também havia a Sociedade Operária Beneficente de Araucária – SOBA, a Panificadora do Kaminski, o Moinho do Sr. Aleixo Panek, enfim mesmo com todas as dificuldades desta estrada de chão, a rua dividia entre moradias e comércio o espaço que todos sabiam como viver.

Olhando atentamente esse registro, podemos ver que o calçamento da Rua Dr. Victor do Amaral estava iniciando, nota-se que logo depois daquele trecho ruim há um pedaço bem cuidado, provavelmente é a obra dos paralelepípedos que estavam sendo colocados. Atualmente esse trecho, assim como toda a Avenida Dr. Victor do Amaral, encontra-se asfaltado, calçada, com rede de água e esgoto, iluminação, sinalização e um intenso e vibrante tráfego, no entanto, a Histórica Casa do Cavalo Baio, necessita de uma restauração pois é um Patrimônio da cidade e merece o respeito de todos pela história que contém.

Compartilhar
PUBLICIDADE